Geral | Descaso

Reclamações e filas nos locais de venda de passes escolares

Usuários do sistema de transporte da capital enfrentam enormes filas e reclamam do número pequeno de postos em São Luís
Thiago Bastos 19/04/2017
Reclamações e filas nos locais de  venda de passes escolares Extensa fila foi formada para a compra de passe na Central de Atendimento ao Estudante. (De Jesus / O ESTADO)

SÃO LUÍS - Os locais de compra anunciados pela Prefeitura de São Luís para a aquisição do passe escolar, após a pane no sistema de recarga dos cartões de transporte, registraram grande movimento durante todo o dia de ontem. Usuários do sistema de transporte disseram que foram surpreendidos de forma negativa com a iniciativa do Município, que retomou o crédito em forma de papel para uso nos ônibus.

Segundo o Sindicato das Empresas de Transporte (SET), o sistema pode ser normalizado hoje, às 10h. "Os HDs do servidor foram colocados ontem à noite e estão sendo sincronizados. Continuaremos a vender passe escolar de papel porém quem puder esperar evitará transtornos de ter que usar o papel", informou.

Na Central de Atendimento do Estudante, no bairro Monte Castelo, os usuários esperaram por até três horas para comprar os passes escolares. Apenas cinco guichês estavam funcionando. “É um absurdo o que o poder público faz a gente passar. Tive que faltar aula para estar aqui e demorar este tempo todo na fila. Eu nem sabia dessa situação e fui avisada somente hoje [ontem]”, disse a estudante Ellen Crystine.

Já a dona-de-casa Roberline Silva, moradora do Filipinho, questionou a limitação no número de passes que poderiam ser adquiridos por pessoa. De acordo com a Prefeitura, o cidadão poderia comprar apenas 10 passes. “Como a minha filha usa quatro passes por dia, ainda esta semana vou ter que comprar novamente passe”, afirmou.

Sem opção

Os usuários do sistema também criticaram o reduzido número de locais para a venda de passes. Segundo a Prefeitura, os créditos de papel somente poderiam ser adquiridos, além da Central de Atendimento ao Estudante, nos terminais de integração do São Cristóvão, Cohama, Cohab e Praia Grande. “Deveria ter mais locais de compra. A pessoa já está limitada pelo número de passes e ainda precisa se deslocar para um local de venda longe de casa”, protestou o estudante Raylan Lima, morador da Cidade Operária, que adquiriu passe no Terminal da Praia Grande. Procurada por O Estado, a Prefeitura de São Luís informou que os passes escolares terão validade de apenas 30 dias.

Passe significa retomada da fraude?

Em 2015, a Prefeitura de São Luís implantou a biometria facial – sistema que reduziria a fraude no sistema de transporte da capital maranhense. Além de identificar individualmente o usuário do sistema, a biometria implantou a recarga do cartão de transporte a bordo, ou seja, abolindo de vez o uso do passe que, antes da biometria, era comercializado livremente por vendedores ambulantes, especialmente no Centro.

Relembre

A ocorrência de panes no sistema de recarga dos cartões de transporte em São Luís não é incomum. No dia 24 do mês passado, por exemplo, outra pane no gerenciamento do serviço interrompeu a recarga por 24 horas. À época, a Prefeitura não informou quais as causas do problema.

Frase

“É um absurdo o que o poder público faz a gente passar. Tive que faltar aula para estar aqui e demorar este tempo todo na fila. Eu nem sabia dessa situação e fui avisada somente hoje [ontem]”

Ellen Crystine

Estudante

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte