Cidades

São Luís tem quase metade da população acima do peso

Capital maranhense, que está abaixo da média nacional, tem 47,9% dos seus habitantes nesta situação
18/04/2017 às 16h03
São Luís tem quase metade da população acima do pesocapital maranhense tem 47,9% dos seus habitantes acima do peso (Biné Morais / O ESTADO)

SÃO LUÍS – Quase metade da população de São Luís está acima do peso, segundo dados da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) realizada pelo Ministério da Saúde em todas as capitais do país. A capital maranhense tem 47,9% dos seus habitantes nesta situação. Apesar dos números ruins, a cidade encontra-se abaixo da média nacional, que foi de 53,8% em 2016. Quando o assunto é obesidade, São Luís tem 15,6% de sua população neste quadro.

Mesmo com seus indicadores ruins, São Luís está entre as capitas do Brasil com índice mais baixos em relação ao excesso de peso. A capital do Maranhão só fica atrás de Palmas, que é a capital do país com o número mais baixo da pesquisa, 47,7%. Rio Branco, com 60,6% é a cidade com a maior parte da sua população com excesso de peso.

A pesquisa aponta que o excesso de peso também cresceu 26,3% no país. Em 2006, 42,6% dos entrevistados foram considerados com excesso de peso. No ano passado, esse índice foi para 53,8%.

A obesidade e o excesso de peso são calculados a partir do Índice de Massa Corporal que divide o peso pela altura ao quadrado do entrevistado. Índices iguais ou maiores que 25 são considerados como excesso de peso e maiores de 30 kg/m2, obesidade.

A Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) entrevistou, de fevereiro a dezembro de 2016, 53.210 pessoas maiores de 18 anos nas capitais do país.

Excesso peso e obesidade

A obesidade aumenta com o avanço da idade. Mas mesmo entre os mais jovens, de 25 a 44 anos, atinge indicador alto: 17%. Excesso de peso também cresceu entre a população. O percentual de quem possui Índice de Massa Corporal (IMC) entre 25 kg/m² e 30 kg/m², passou de 42,6% em 2006 para 53,8% em 2016. Já é presente em mais da metade dos adultos que residem em capitais do país.

Entre as mudanças positivas nos hábitos identificados na pesquisa está a redução do consumo regular de refrigerante ou suco artificial. Em 2007, o indicador era de 30,9% e, em 2016 foi 16,5%.

A população com mais de 18 anos está praticando mais atividade física no tempo livre. Em 2009, 30,3% da população fazia exercícios por pelo menos 150 minutos por semana, já em 2016 a prevalência foi de 37,6%. Nas faixas etárias pesquisadas, os jovens de 18 a 24 anos são os que mais praticam atividades físicas no tempo livre.

Saiba mais detalhes da pesquisa clicando aqui.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte