Estado Maior

Desilusão sindical

04/04/2017

Numa das mais contundentes críticas ao governo Flávio Dino (PCdoB) nestes quase três anos de mandato, o Sindicato dos Policiais Civis do Maranhão (Sinpol) classificou a gestão comunista de “governo da propaganda, da mídia, da ilusão” e desqualificou todo o sistema de segurança pública de Flávio Dino.
A crítica do Sinpol torna-se mais dura porque o sindicato esteve com Flávio Dino nas eleições de 2014 e apostava todas as fichas no discurso de modernização do sistema e valorização dos profissionais do setor.
Mas tudo não passa de propaganda, segundo lembra a nota. “Embaladas por soluções paliativas, as propagandas da gestão estadual, com suas novas viaturas mostradas à exaustão ou mesmo com suas formaturas de novos, mas insuficientes pelotões, querem fazer crer que o Governo do Estado está preocupado com a segurança e que tem nesta uma de suas prioridades. História contada, falácia revelada!”, diz o documento.
O governador anunciou ontem, durante ato de nomeação de novos policiais e bombeiros, que haverá concurso para a Segurança ainda este ano, mas não deu detalhes do certame.
A desilusão do Sinpol é a mesma que vivem os professores abrigados no Sinproessema, que também vestiu a camisa do comunismo em 2014. Mas também não será o único.
Além deles, outras categorias mostram-se insatisfeitas com a política estadual para os servidores. E prometem fazer paralisação conjunta, de advertência, abrigados em uma série de sindicatos - Sintsep, Sindspen, Sindisesma, Sinfa-MA, SindisFunac, Simoema, SintUema, Sindet, SindUema, Sintag, Aspem, Adepol, Audima e AAgpen - na próxima quinta-feira, 5.
São categorias que vestiram a camisa do comunismo em sua maioria e que hoje, a exemplo de Sinproessema e Sinpol, também sofrem a desilusão com o governo.
Resta saber até quando durará a chateação, já que o Maranhão encontra-se às vésperas de mais um período eleitoral.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte