Cidades | Abandono

Prédio público é um grande problema no Monte Castelo

Espaço, que já abrigou um hortomercado, hoje está abandonado, deteriorado e serve como abrigo para moradores de rua, criadouro de mosquitos e depósito de lixo
12/02/2017 às 00h00
Prédio público é um grande problema no Monte Castelo Lixo cerca todo o espaço onde antes funcionou o Hortomercado do Monte Castelo (Flora Dolores / O ESTADO)

Há vários anos os moradores do Monte Castelo têm de conviver com o esqueleto do antigo prédio do Hortomercado ou Cobal. Abandonado e deteriorado, o prédio é utilizado como abrigo de moradores de rua, depósito de lixo e criadouro para o mosquito Aede Aegypti.

O prédio, na Avenida Getúlio Vargas, próximo ao viaduto do Monte Castelo, funcionava como ponto de vendas de produtos hortifutigranjeiros. Pertence ao Governo do Estado, mas foi esquecido. Sem manutenção ou qualquer tipo de cuidado, os comerciantes foram deixando-o e com o tempo ninguém mais comercializou nada lá. O espaço tornou-se insalubre.

Durante algum tempo, abrigou pelo menos duas famílias de feirantes, mas com sua deterioração, não houve mais condições de ser usado como moradia, sem o perigo de queda do teto. Hoje o prédio está em ruínas. Não existe mais telhado, piso. Nada.

Em seu interior o cheiro de fezes e carne podre é insuportável e para piorar ainda mais, existe um grande tanque no fundo do estabelecimento, que está cheio de água suja e se tornou espaço para ser criadouro de mosquitos.

Tudo isso próximo a uma escola, que atende crianças e adolescentes. “Tem dia que os moradores de ruas tomam banho bem aí, pelados, e os pais vêm buscar as crianças e ficam horrorizados”, conta um vigilante da escola, que não quis ser identificado.

Tristeza
Maria Helena Andrade, que nasceu no bairro do Monte Castelo conta que se sente triste por ver a situação do prédio. Para ela, algo deveria ser feito urgentemente, pois os moradores vivem a mercê de uma situação insustentável. “Aqui já foi um bairro bom de se viver. Mas depois que desativaram esse prédio, a situação ficou muito ruim. Desconhecidos vêm, fumam, roubam, fazem de tudo aí dentro e não podemos nem falar”, comenta a idosa.

A vizinha de Maria Helena Andrade, Inanildes Andrade, corrobora o pensamento da senhora. Para ela, é fundamental que se dê uma destinação adequada ao prédio. Não importa qual seja. “Falaram que aí seria hospital, supermercado. Não sabemos. Mas queremos algo de bom para cá. Não temos um hospital aqui perto. Aí seria uma boa”, afirma a mulher

O Governo do Estado foi procurado para informar se há algum projeto para o espaço onde funcionou o Hortomercado do Monte Castelo, mas até o fechamento desta página não houve resposta.

SAIBA MAIS

Além da Cobal, que abastecia a capital com alimentos, o imóvel já abrigou a Estação de Bondes de São Luís, serviu de espaço para academia de ginástica, lava a jato e supermercado.

Galeria de fotos

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte