Cidades | Alcântara

Número de visitas caiu, nos últimos anos, em museu do MA

Mobiliário, indumentárias, acessórios, louças, iconografias, cerâmicas e azulejos do acervo têm o objetivo de retratar a história do Brasil Monárquico
30/01/2017 às 11h31
Número de visitas caiu, nos últimos anos, em museu do MAMuseu Casa Histórica de Alcântara está localizado na Praça Gomes de Castro (Divulgação)

ALCÂNTARA - Os números de visitas ao Museu Casa Histórica de Alcântara vem caindo ano após ano, de acordo com levantamento do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), autarquia do Ministério da Cultura (MInC).

Em 2013, o local recebeu 6.733 visitas. De lá para cá, o número só caiu. Em 2014 caiu para 5.301 visitantes e no ano seguinte, em 2015, foram 4.562 registros. De 2013 até 2015, portanto, foi uma redução de 32%.

A maior redução ocorreu em 2016, quando o museu só recebeu 1.640 visitas. Em abril, maio, junho e agosto nenhuma visita foi registrado, pois o local estava fechado. No período, o Museu Casa Histórica de Alcântara passou por uma obra de conservação e manutenção de emergência, que resultou na troca de um pilar de madeira de sustentação da balaustrada que dá acesso à Reserva Técnica; dois caibros comprometidos por cupins; pintura interna de paredes, portas e forro; pintura externa de paredes e portas dos dois sobrados e restauro e pintura dos gradis também dos dois sobrados.

Em julho, o museu já havia sido aberto de forma simbólica, mostrando para a comunidade a nova proposta expositiva com foco prioritário na leitura do acervo. À época, o museu recebeu ações educativas do Festival de Musica Barroca de Alcântara e acolheu os artistas internacionais do festival em uma visita guiada.

O Museu

O Museu Casa Histórica de Alcântara teve sua abertura ao público datada em novembro de 2004. Apesar de sua recente criação, o museu tem por missão remontar aos tempos do Brasil Imperial através de sua arquitetura colonial e de seu acervo, expondo a opulência dos hábitos e costumes do século XIX da aristocracia rural da cidade de Alcântara, Maranhão. As cerca de mil peças e obras do Museu pertenceram a famílias que residiram na casa. Mobiliário, indumentárias, acessórios, louças, iconografias, cerâmicas e azulejos do acervo têm o objetivo de retratar a história doméstica do Brasil Monárquico para os alunos da educação básica, a comunidade em geral e os visitantes externos.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte