Geral | Em São Luís

Filha se casa no hospital para o pai participar de cerimônia

Evento aconteceu no Hospital Universitário para possibilitar a participação do pai da noiva, que está internado há um ano e meio
18/01/2017 às 18h06
Filha se casa no hospital para o pai participar de cerimônia Kyvya Klyss Araújo se casou com a presença do pai no hospital (Divulgação)

SÃO LUÍS - O casamento dos sonhos é idealizado por grande parte das mulheres e viver esse momento ao lado da família sempre é a parte mais especial. Com Kyvya Klyss Araújo, 26, não foi diferente. Ela tinha em mente o que queria para esse momento tão importante e isso incluía sem sombra de dúvidas o seu pai. Parece algo simples, mas não é bem assim. Quem nunca ouviu aquele ditado: “Se Maomé não vai até a montanha, a montanha vai até Maomé”? Foi exatamente o que aconteceu. Ela adaptou o sonho para que o seu pai José Carvalho de Araújo, 59, que está internado há um ano e meio no Hospital Universitário da UFMA pudesse “ levar a filha até o altar”. Com o vestido feito carinhosamente pela mãe e bordado por muitos familiares, inclusive seu próprio pai, Kyvya Klyss concretizou o seu sonho na manhã desta quarta-feira (18). Ele, ainda que com muitas limitações, mas extremamente consciente, estava muito emocionado e feliz. Seus olhos falavam mais que quaisquer palavras.

Ele sofre com uma esclerose lateral amiotrófica (ELA) que degenera progressivamente os neurônios motores no cérebro (neurônios motores superiores) e na medula espinhal (neurônios motores inferiores), ou seja, estes neurônios perdem sua capacidade de funcionar adequadamente (transmitir os impulsos nervosos). Ele teve os primeiros sintomas em 2014 e recebeu o diagnóstico em 2015 quando foi perdendo aos poucos os movimentos.

Quando Kyvya soube pela equipe médica que seu pai não poderia mais sair do hospital foi um grande susto não só para ela, mas para toda a família. Ela e a mãe dividem dia após dia os cuidados com o pai, abdicaram de tudo para acompanhá-lo de perto, passando o HU-UFMA a ser uma segunda casa para elas.

Ela e o noivo Helielson Cardoso Santos, 26, decidiram, então, fazer a celebração do casamento no hospital, na beira do leito em que seu pai se encontra internado. "Quero meu pai ao meu lado em um dos momentos mais especiais da minha vida. Íamos casar em 2015, mas com o a descoberta da doença decidimos adiar para que pudéssemos focar na recuperação dele. Entretanto, a vida nos reservou outro caminho e para que ele pudesse viver esse momento, assim como ele também sonhou em participar, vamos na medida do possível, fazer desse sonho uma realidade”.

Para isso, uma grande mobilização se fez necessária, no qual a governança do HU-UFMA, profissionais de vários setores administrativos, equipe multiprofissional que acompanha o paciente José Carvalho juntamente com a família providenciaram todos os detalhes para que esse dia (18/01) ficasse marcado de uma maneira singela e feliz, tendo acima de tudo, um cuidado redobrado com o bem-estar do paciente.

Francieli Goulart Ribeiro, neurologista que acompanha o paciente José Carvalho, juntamente com demais médicos e equipe multiprofissional da Clínica Médica, destacou que ele tem uma doença neurológica degenerativa que evoluiu com comprometimento respiratório fazendo com que ele ficasse dependente do respirador, embora, consciente, orientado e completamente lúcido. Ela acrescentou ainda que a equipe médica e a equipe multidisciplinar atenderam ao pedido da família, por compreender que seria importante para ele presenciar esse momento e dessa forma seguiram todo um plano-tarefa para poder executar o casamento da melhor forma possível, sempre preocupados com o bem-estar do paciente.

Toda a equipe do hospital se comoveu bastante com essa história, assim como, com tantas outras, uma vez que a instituição para além do tratamento da saúde, lida com vidas, com sentimentos, com sensações...e ter esse olhar mais humanizado faz com que todos sejam vitoriosos nessa luta diária pela vida.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte