Geral | Cibercrime

Mais de um milhão são afetados por novo golpe no WhatsApp

Por meio de um link, o golpe oferece ao usuário a possibilidade de ativar uma nova função do aplicativo que permite personalizar a cor
16/01/2017 às 10h05
Mais de um milhão são afetados por novo golpe no <i>WhatsApp</i>

Um novo golpe vem sendo disseminado por hackers via WhatsApp para enganar usuários de smartphones. Com a falsa promessa de personalizar o aplicativo de mensagens instantâneas com a cor preferida da pessoa, cibercriminosos induzem usuários a compartilhar a fraude com amigos e a baixar aplicativos que proporcionam ganhos financeiros aos golpistas. De acordo com a PSafe, mais de 1 milhão de pessoas já foram afetadas.

Por meio de um link disseminado no próprio WhatsApp, o golpe oferece ao usuário a possibilidade de ativar uma nova função do aplicativo que permite sua personalização com a cor desejada. Em seguida, uma página alegando a necessidade de uma “verificação de usuário” se abre e é solicitado o compartilhamento do link malicioso com 10 amigos e com cinco grupos diferentes, para ter a função ativada.

A partir disso, o usuário é direcionado a uma página que induz a instalação de outros apps, que não necessariamente contêm vírus. A cada novo aplicativo baixado pelo usuário o hacker ganha dinheiro. Dessa forma, ao invés de ter a falsa nova função do WhatsApp liberada, os usuários apenas divulgam o golpe e são induzidos a instalar aplicativos.

Para não se tornar uma vítima de ciberataques, especialistas em segurança ensinam como manter seu celular protegido:

Instale e mantenha atualizado um Antivírus

O antivírus no celular funciona como uma barreira de segurança para garantir a privacidade dos seus arquivos e impedir que os hackers tenham acesso ao seu aparelho.

Desconfie de novas funções enviadas por links
Se a função não foi anunciada nos canais oficiais do WhatsApp e redirecionar você para outras páginas, desconfie. É importante se certificar de que a nova função é real, ao entrar em contato diretamente com a empresa. Nunca disponibilize dados pessoais ou propague links antes de fazer essa checagem. Caso receba alguma mensagem do tipo, evite clicar e alerte a pessoa que enviou sobre a possível ameaça.

Utilize apenas redes de internet protegidas com senha

Redes que não solicitam senhas são mais arriscadas – pois permitem acesso fácil aos hackers. Por isso, é aconselhável utilizar apenas redes com senhas, que ofereçam algum tipo de criptografia.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte