Consumidor | Queda

Valor da cesta básica teve redução em São Luís, em dezembro

Apesar da redução na capital maranhense, ao longo do ano de 2016, custo da cesta básica teve aumento em todas as capitais brasileiras
Estadão Conteúdos04/01/2017 às 11h29
Valor da cesta básica teve redução em São Luís, em dezembro

São Luís foi uma das três capitais do país que apresentou queda no valor da cesta básica na passagem de novembro para dezembro. Apesar da redução, a tendência ao longo do ano de 2016 foi de alta em todas as capitais. Na capital maranhense, a queda registrada no último mês do ano foi de 4,13%, segundo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Segundo pesquisa divulgada hoje (4), a maior alta foi em Rio Branco (23,63%), seguida de Maceió (20,69%) e Belém (16,70%). Já as elevações menos acentuadas foram em Recife (4,23%), Curitiba (4,61%) e São Paulo (4,96%). Além de São Luís, também foram registradas quedas em Aracaju (-5,11%) e Campo Grande (-4,16%).

Com base na cesta mais cara e levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para suprir as despesas de um trabalhador e da família dele com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o Dieese estima que o salário mínimo para uma família de quatro pessoas deveria ser de R$ 3.856,23, ou 4,38 vezes o valor atual, de R$ 880,00.

Em dezembro, o tempo médio de trabalho necessário para adquirir os produtos da cesta básica foi de 98 horas e 59 minutos. O trabalhador remunerado pelo piso nacional comprometeu, em dezembro, 48,90% da renda para adquirir esses produtos.

Entre os principais produtos que compõem a cesta básica, a maioria subiu em 2016. Nas maiores altas, o leite avançou 63,53% em João Pessoa, o feijão carioquinha disparou 133,48% em Maceió, o arroz encareceu 49,07% em Boa vista, o café saltou 45,35% em Maceió, o preço do açúcar cresceu 53,51% em Boa Vista e o óleo de soja aumentou 24,86% em Rio Branco. Já o tomate foi destaque de queda, com retração de 40,04% em Campo Grande.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte