Política | Crítica

Deputada federal diz que sistema prisional do Maranhão é um "verdadeiro caos"

Ex-integrante da CPI do Sistema Carcerário da Câmara, Eliziane Gama disse nesta quarta-feira (4) que não há investimento dos governos
04/01/2017 às 17h40
Deputada federal diz que sistema prisional do Maranhão é um "verdadeiro caos"Complexo de pedrinhas vive situação complicada (Reprodução)

BRASÍLIA - Ex-integrante da CPI do Sistema Carcerário da Câmara dos Deputados, a deputada federal Eliziane Gama (PPS-MA), disse nesta quarta-feira (4) que não há investimento dos governos em tecnologia nos sistemas prisionais brasileiros, o que na avaliação dela, facilita a entrada de armas e de celulares para as carceragens.

A parlamentar, que já presidiu a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Maranhão, acompanhou de perto algumas das rebeliões ocorridas no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, que fica em São Luís.

“Sem tecnologia não se coíbe a entrada de armas, drogas e aparelhos celulares. Esse é o principal problema dos presídios. Presos têm se utilizado fartamente de telefones modernos para, de dentro da cadeia, continuarem planejando crimes. É preciso buscar solução urgentemente para esta situação que está um verdadeiro caos”, analisou.

LEIA TAMBÉM

86% dos presídios do Maranhão não possuem bloqueadores de celular ou detectores de metais

Presos de Pedrinhas exibem celulares em celas e exaltam facções

O segundo fator para a instabilidade no sistema prisional brasileiro é a corrupção dentro das cadeias, de acordo com a deputada maranhense.

“A facilitação para manutenção de privilégios e para a entrada de itens proibidos nas carceragens é outro grande problema neste sistema”, acrescentou.

Relatório final da CPI do Sistema Carcerário apontou que as facções chegam a pagar até R$ 25 mil por celular entregue no interior do presídio.

Eliziane Gama sugeriu ainda que o sistema prisional estadual e federal disponham de ouvidorias e corregedorias fortes e autônomas.

“Sem a implantação deste conjunto de ações não há avanços no sentido de se resolver este quadro”, finalizou Gama.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte