Geral | Segurança Pública

Reportagem sobre policiamento precário tem repercussão nacional

Viaturas que não funcionam, falta de policiais civis e militares e até de delegacias e postos da PM foram alguns do problemas encontrados em municípios maranhenses
21/12/2016 às 09h24
Viatura de Sucupira do Norte está quebrada há 10 dias

A precariedade do policiamento no interior do estado, mostrada esta semana pelo repórter Alex Barbosa, da TV Mirante, repercutiu na manhã de hoje no Bom Dia Brasil, da TV Globo. A equipe esteve em alguns municípios maranhenses e mostrou as condições caóticas de trabalho da polícia, que a deixam sem a mínima condição de atender à população e combater a criminalidade.

Viaturas quebradas, falta de delegacias e postos da Polícia Militar (PM), alojamentos precários e falta de combustível , foram alguns dos problemas apontados pela reportagem.

Em três anos, aconteceram 193 assaltos a banco no Maranhão, segundo o sindicato da categoria. O interior do Maranhão tem sido alvo fácil de ações criminais, sobretudo pela facilidade nas incursões.

Em Vitorino Freire, a 320 Km de São Luís, a agência bancária fica ao lado da delegacia e em posto da PM. na delegacia permanecem apenas dois agentes e um delegado. A PM dispõe de apena suma viatura, que está com pneus gastos e pouco combustível. A viatura da Polícia Civil está quebrada.Em Sucupira do Norte não há delegado e as ocorrências devem ser registradas na cidade vizinha, que fica distante 25Km, mas a voatira da PM esta quebrada há 10 dias.

Alojamento de policiais militares de Lago Açu está insalubre

No município de Nova Iorque, o correspondente bancário funciona, mas com as portas fechadas desde o último assalto. Há delegacia está desativada e o prédio abandonado. Na cidade vizinha, Pastos Bons, só há uma viatura da PM e quatro policiais. Lá, dois agentes da Polícia Civil "tomam conta" de 12 presos e para fazerem algum serviço policial, dispõem de um carro que foi apreendido.

Em Lago Açu, policiais civis de plantão têm de usar seus carros para fazer atividades policiais. A Polícia Militar tem uma motocicleta, mas há apenas um capacete e quando dois PMs precisam sair, tem de pedir um capacete extra emprestado.

Correspondente bancário de Nova Iorque funciona, mas de portas fechadas

Sobre a situação mostrada na reportagem o secretário de Estado da Segurança Pública, Jefferson Portela, afirmou não ter conhecimento dos problemas e frisou que cobrará soluções., Ele cobrou também mais segurança para os bancos. A Federação Brasileira de Bancos (Febraban), informou que investe na segurança bancária e que está empenhada em apoiar a polícia em sua atuação, mas ressaltou ser necessário o combate as causas dos crimes.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte