Polícia | Balanço

Novembro terminou com 56 assassinatos na Ilha de SL

O mês também foi marcado por dois assassinatos de mulheres com requintes de crueldade; um deles foi de Rayssa Diniz, de 17 anos, que foi queimada viva e esquartejada por cinco criminosos no Alto da Esperança
Ismael Araújo / Da equipe de O Estado02/12/2016
Novembro terminou com 56 assassinatos na Ilha de SLRayssa Diniz foi uma das vítimas de bárbaros assassinatos na Ilha (Divulgação)

Os números da violência continuam alto na Ilha, principalmente na ocorrência de assassinatos. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP), um total de 56 homicídios dolosos ocorreram na Região Metropolitana de São Luís, durante o mês de novembro deste ano. No mesmo período do ano passado foram 76 registros. Em outubro deste ano, ocorreram 61 casos desse tipo de crime.
Uma das últimas vítimas do mês passado foi o empresário Vanderson Rorge Senna Rocha, de 29 anos. A polícia informou que a vítima foi baleada na cabeça e no ombro esquerdo por três homens, não identificados, dentro do seu restaurante, localizado na Rua do Norte, no Centro, e morreu depois de ser submetido a tratamento cirúrgico no Hospital Municipal Djalma Marques, Socorrão I, no começo da tarde do último dia 30.
O sargento da Polícia Militar, Rosivaldo, lotado no Socorrão I, disse que os suspeitos chegaram ao local como se fossem clientes e ainda pediram um lanche. Em seguida, um deles teria efetuado os tiros em direção ao empresário. Os acusados fugiram em um veículo Prisma branco, de placas não identificadas, enquanto o empresário foi levado por familiares para o Socorrão I.
O caso está sendo investigado pela equipe da Superintendência Estadual de Homicídios e Proteção a Pessoas (SHPP), mas, até a tarde de ontem não havia conseguido prender os acusados e saber a motivação desse crime.

Barbárie
A polícia também registrou, no mês de passado, dois assassinatos com requintes de crueldade, cujas vítimas foram do sexo feminino. Uma delas foi a publicitária Mariana Menezes de Araújo Costa Pinto, de 33 anos, morta por asfixia provocada por sufocação dentro do seu apartamento, no Turu, no dia 13.
Segundo a polícia, esse crime tem acusado confesso, o empresário Lucas Leite Ribeiro Porto, de 37 anos, cunhado da vítima. Ele teria declarado à polícia que violentou sexualmente e assassinou a publicitária motivado por uma paixão incontida.
Lucas Porto está preso desde o dia 14 de novembro, no Complexo Penitenciário de Pedrinhas e foi autuado pelos crimes de estupro e homicídio qualificado. Ainda ontem, o Ministério Público apresentou a denúncia desse caso ao Poder Judiciário e a polícia também está aguardando o resultado dos exames periciais realizados pela equipe da Superintendência Estadual da Polícia Técnica e Científica para anexar ao inquérito policial.
A outra vítima foi Rayssa Melo Diniz, de 17 anos. Esse assassinato está sendo investigado pela equipe do 5º Distrito Policial, sob a coordenação do delegado Walter Wanderley. A adolescente foi queimada viva e esquartejada e ainda teve o seu corpo jogado dentro de um bueiro em uma área de mangue, no Alto da Esperança. Ela desapareceu no dia 14 e o corpo foi encontrado no último dia 18.
O delegado informou que o assassinato foi motivado devido à menor ter roubado uma bolsa em que havia maconha, durante uma festa promovida por integrantes de facções criminosas. Ainda segundo Walter Wanderley, o acusado desse crime foi Elias Fernando Bandeira Alves, Coyote, de 28 anos.
Ainda na noite de terça-feira, 29, ele se apresentou no 5º Distrito Policial, no Anjo da Guarda, e foi encaminhado para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde deve ficar em cela isolada. Também são acusados de terem participado desse assassinato Miquéias Augusto Oliveira Silva, o Mil Grau, de 19 anos; Ivanilson Costa Ramos, Rugal, de 18 anos; Márcio Rogério Silva Maranhão Júnior, Marcinho, de 20 anos, e um adolescente, de 15 anos. “Há a possibilidade de haver mais um criminoso envolvido na morte da menor, mas, estamos investigando o caso”, declarou o delegado.

Números

56 homicídios dolosos ocorreram na Ilha no mês passado

76 assassinatos foram registrados durante o mês de novembro de 2015 na Região Metropolitana de São Luís

2 mulheres foram mortas no mês passado na capital com requintes de crueldades

“Há possibilidade de haver mais um criminoso envolvido na morte da menor, mas, estamos investigando o caso”.

Walter Wanderley – delegado titular do 5º Distrito Policial sobre o assassinato de Rayssa Diniz

Mais

Homicídios dolosos em 2016

Janeiro: 63 casos

Fevereiro: 71 casos

Março: 66 casos

Abril: 46 casos

Maio: 57 casos

Junho: 46 casos

Julho: 68 casos

Agosto: 63 casos

Setembro: 48 casos

Outubro: 61 casos

Novembro: 56 casos

Fonte: Secretaria de Segurança Pública (SSP)

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte