Cidades | Segundo o Procon

Reclamações durante Black Friday caíram 62% no Maranhão

Segundo o órgão, apenas 29 denúncias foram registradas neste ano, contra 77 do ano passado; fiscalização ajudou redução
28/11/2016 às 19h11
Reclamações durante Black Friday caíram 62% no MaranhãoFiscais do Procon percorreram lojas de São Luís de olho nos preços oferecidos nas vitrines (Arquivo)

SÃO LUÍS - Durante todo o período da promoção Black Friday, de sexta (25) até domingo (27), o Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor do Maranhão (Procon/MA) registrou 29 denúncias por meio do site, aplicativo e nas fiscalizações in loco. O número representa uma redução de 62% em relação às denúncias do ano passado.

Em 2015, 77 denúncias foram contabilizadas no Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec) e no aplicativo do órgão. Para o presidente do Procon/MA, a redução no número de denúncias em 2016 é reflexo das constantes fiscalizações. “Antes e durante o período do Black Friday, nossa equipe fiscaliza sites e lojas a fim de coibir práticas abusivas como a publicidade enganosa e outras irregularidades nos preços divulgados. A participação dos consumidores por meio das denúncias, também é fundamental para o sucesso do trabalho, uma vez que o consumidor é o maior, melhor e principal fiscal das relações de consumo”, afirmou o presidente.

De 21 a 27 de novembro, os fiscais percorreram lojas de São Luís de olho nos preços oferecidos nas vitrines. Na sexta-feira (25), a equipe esteve nas lojas Americanas e Casas Bahia, no centro de São Luís, além de fiscalizar também o Mateus Supermercados, Lojas Americanas, Oi, Tim e C&A do Rio Anil Shopping. Durante a ação, os consumidores receberam orientação e puderam realizar reclamações na hora. A unidade das Lojas Americanas da Rua Grande foi autuada por falha na prestação de serviço, ao disponibilizar poucos caixas de pagamento, gerando longas filas de espera.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte