Vida | Adoção

À espera de um lar

Entidades protetoras de animais e Terra Zoo realizam feira para adoção de cães e gatos neste sábado
28/10/2016
À espera de um larCães e gatos resgatados das ruas ou de situações de maus tratos foram tratados e estarão à espera de adoção (Divulgação)

Cães e gatos resgatados das ruas ou de situações inadequadas estarão disponíveis para adoção neste sábado, 29, na Terra Zoo da Forquilha, das 8h às 18h. Os animais que estarão disponíveis para adoção serão previamente inspecionados pelos veterinários da Terra Zoo, para que não tenham pulgas, carrapatos, sar­na e verminoses. O tutor interessado em adotar um animal deverá doar 3kg de ração lacrada para a ONG protetora e apresentar documento com foto e comprovante de residência.

Todos os animais que passarem pela triagem e forem disponibilizados para adoção serão vacinados e receberão a implantação de um microchip (implantado na região da nuca do animal), com custo arcado pela Terra Zoo. A iniciativa facilita o controle dos animais já analisados e liberados para a feirinha, reforçando a qualidade do trabalho realizado. Assim, basta que seja feita a leitura do microchip com o scanner apropriado para que se tenha acesso ao histórico do animal.

Encontrar uma família para cães e gatos abandonados é um grande desafio, mas a iniciativa da Terra Zoo com as entidades protetoras dos animais parceiras tem tido êxito: em menos de dois anos, já são mais de 250 animais adotados.

“Cada um dos animais que estará lá na nossa feira tem uma história diferente, seja de maus-tratos, de abandono, fome ou dor. Está em nossas mãos mudar o futuro de cada um deles”, afirma Julio Henrique Araújo, veterinário da Terra Zoo.

Trabalho

Não há estimativas de quantos animais vivem nas ruas da capital, mas sabe-se que são muitos. Entregues à própria sorte, perambulam pelas ruas da cidade, sem alimento, sujeitos a maus-tratos e atropelamentos e a contraírem doenças.

Por outro lado, é cada vez maior o número de pessoas que se sensibilizam com a situação de cães e gatos de rua e fazem ações para conseguir alimento, abrigo e cuidados veterinários para esses animais. Conhecidos como protetores de animais, eles resgatam, cuidam e promovem a adoção de animais de rua.

A história de todo protetor de animais tem um ponto em comum: a paixão deles pelos bichos vêm desde a infância. Mas só quando adultos podem trabalhar em prol dos amigos de quatro patas. Como qualquer tipo de ajuda é sempre bem-vinda, os protetores precisam do apoio de pessoas que simpatizam com a cau­sa. Uma forma de arrecadar recursos é a organização de brechós e a venda de produtos como camisetas e lanches, cuja arrecadação é revertida em prol da causa.

A quantidade de animais abandonados, principalmente cachorros e gatos, tem aumentado em São Luís. O fato influencia diretamente os trabalhos de ONGs e instituições protetoras de animais na cidade, que muitas vezes os recolhem nas ruas. Apesar de contar com poucos recursos, a contribuição de tais entidades permite ações de recolhimento, tratamento e campanhas de adoção. No entanto, apenas um de cada 10 cães e gatos conseguem um lar na cidade, estimam as associações.

“Animais que antes moravam nas ruas só querem um lar. Em troca, os bichinhos nos dão amor e gratidão. Os animais merecem uma segunda chance de ter uma família e viver com amor, carinho, companheirismo e, sobretudo, com a retribuição da fidelidade que eles nos doam. Vamos dar às pessoas a oportunidade de se apaixonar por um animal e preencher a casa com um novo amiguinho”, explica Celina Gandra Alvim, da Associação Maranhense em Defesa dos Animais (Amada).

Já são várias as entidades que atuam na proteção e respeito aos direitos dos animais em São Luís, tais como: a Associação Maranhense em Defesa dos Animais (Amada), Projeto Patas em Ação, Amigos do Chiquinho, Lar de Noé, Projeto Dindas Formiguinhas, Felinos Urbanos Bicho Feliz, Ato de Amar, Amigo dos Animais, Projeto Cães e Gatos de Rua de São Luis, Associação dos Animais de Rua.

As atividades dessas instituições abrangem todos os aspectos do problema, desde o recolhimento de animais abandonados, ao tratamento dos problemas de saúde, no controle populacional e no processo de adoção. Os protetores de animais e membros dessas organizações sa­bem que, para diminuir o número de animais abandonados nas ruas, são necessárias a participação e a conscientização de todos.

Crime

Abandonar um animal é crime ambiental, conforme a Lei Municipal 1356/2012, Lei Municipal 1374/2012 e a Lei Federal 9605. O infrator pode ser penalizado com o pagamento de multa em dinheiro. É importante que a população esteja atenta e denuncie para a Secretaria de Meio Ambiente
esse tipo de atitude.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte