Alternativo | Simpósio

Guerra e conflitos

Universidade Federal do Maranhão sedia o VII Simpósio Nacional e VI Internacional de Estudos Celtas e Germânicos, cujo tema é “Guerra e Paz: práticas Bélicas e Solução de Conflitos entre Celtas e Germanos”, de amanhã até sexta, das 9h às 18h30
25/10/2016
Guerra e conflitosHistória celta e germânica e sua influência será tema de simpósio (Divulgação)

A Universidade Federal do Maranhão (UFMA) sedia, de amanhã até sexta-feira, das 9h às 18h30, o VII Simpósio Nacional e VI Internacional de Estudos Celtas e Germânicos, no Centro de Ciências Humanas, cujo tema central é “Guerra e Paz: Práticas Bélicas e Solução de Conflitos entre Celtas e Germanos”.

O evento será aberto às 9h, com a conferência “Conflict solving through magic in the Germanic language area: the case of charms against thieves” (na tradução livre: “Resolução de conflitos por meio da magia germânica: o caso de encantos contra ladrões”). Os minicursos e mesas-redondas também começam amanhã, a partir das 14h. O evento prevê, às 18h, lançamento de livros e um encontro cultural e conversa com o escritor Orlando Paes Filho, que falará sobre “Guerra e Paz: a Igreja Católica Medieval e a Obra Angus”.

Na quinta-feira, 27, os trabalhos seguem a partir das 8h com a sessão de comunicações. À tarde, prosseguem os minicursos e mesas-redondas e o encerramento do dia será com a palestra “Kristen, juden unde heiden: a representação das Cruzadas na lírica em médio-alto-alemão”, com a professora Daniele Gallindo Silva (UFPel).

Na sexta-feira, 28, haverá, às 16h, uma oficina de Arco e Flecha ministrada pelos mestres em armas Mariano Lisbôa e Gawaine Lisbôa, da Federação Maranhense de Arco e Flecha (Femarco) e Arquearia Imperial.

A conferência de encerramento será com o professor Carlos Roberto Figueiredo Nogueira da USP, que falará sobre o tema “Paganismo e Ruptura: a conversão dos bárbaros e a questão das ‘permanências’ medievais”.

De acordo com os organizadores, o Brasil possui uma herança sociocultural densa, tanto pela presença dos portugueses e seu legado celta, quanto por uma sobrevivência de folclores e mitos germânicos na cultura popular, permitindo a sobrevivência de reminiscências do imaginário da Idade Média. Os estudos sobre temáticas celtas e germânicas no Brasil estão crescendo, contudo ainda são muito escassos, apesar da importância dos assuntos para a compreensão da formação cultural do Ocidente.

A região Nordeste mantém uma ligação profunda com o imaginário colonial, atestada tanto pela literatura de cordel quanto pelo folclore popular.

Serviço

O quê VII Simpósio Nacional e VI Internacional de estudos celtas e Germânicos – Guerra e Paz: práticas Bélicas e Solução de Conflitos entre Celtas e Germanos

Quando De amanhã até sexta-feira, das 9h às 18h30

Onde Centro de Ciências Humanas da UFMA, Campus do Bacanga

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte