Alternativo | Som

Reggae e rap embalam a Ilha

Banda Crioulo D’Ifé e Cacife Clandestino fazem shows neste sábado no bar Novas Fronteiras e Chama Maré, respectivamente
22/10/2016
Reggae e rap embalam a IlhaCacife Clandestino se apresenta neste sábado no Chama Maré (Divulgação)

O reggae e o rap têm espaço garantido na Ilha neste sábado. A banda Crioulo D’Ifé faz neste sábado show de pré-lançamento de seu primeiro CD no bar Novas Fronteiras (Vinhais), às 21h. O evento ocorre dentro do projeto Tudo de Bom, com discotecagem de Nega Glicia, Andrezinho Vibration e Victo Ugu. Já o rap carioca do grupo Cacife Clandestino toma conta do Chama Maré (Ponta d’Areia), às 16h, com presença de vários grupos locais como Joier, Lobo, Kaminski, Sem Simpatia, BackSide, Crew, Sem Cerimônia e DJ Adaga.

O grupo Crioulo D’Ifé, formado por músicos de sólida trajetória, traz como proposta fazer reggae com fortes pitadas regionais. A banda Crioulo D’Ifé é formada por Paulinho Akomabu (voz principal e percussão), Thiago Guterres (voz e baixo), Robin Waillers (voz principal e violão), Ricardo Sá (teclado), Rodrigo (guitarra solo e voz), Felipe Lisboa (guitarra solo) e Leo Vander (bateria e voz).

No repertório, o grupo faz alusão a ritmos africanos e ao reino de Ilê-Ifé conhecido como o berço dos Yorubas. A banda traz o reggae da Jamaica, mas dentro do cadeirão rítmico do Brasil. “Nossa música tem a nossa cara, a cara da banda, mas também tocamos os clássicos do reggae como Bob Marley, Gregory Isaacs e Jacob Miller, entre outros”, ressalta Thiago Guterres. Além do reggae, a banda passeia ainda por ritmos como rock, soul, salsa e música popular maranhense.

A música de trabalho do grupo é “O som das paredes”, composição de Paulinho Akomabu que faz alusão às radiolas de reggae do Maranhão. Além de músicas de autoria de Paulinho Akomabu, o grupo tem parcerias musicais com nomes como Célia Sampaio, Santacruz, Gerson da Conceição, entre outros.

Rap

O Cacife Clandestino é um grupo de rap criado em 2011 na zona sul carioca. O grupo tem como membros Felp 22, o vocalista, e Terror dos beats, o produtor. A dupla ganhou notoriedade com seu single “Beija-Flor”, conquistando mais de 2 milhões de visualizações no Youtube. Em março de 2016, lançou seu primeiro álbum intitulado "Conteúdo Explícito, Pt. 1".

A dupla foi criada a partir da Roda Cultural Amalgama, em Botafogo (RJ), e em pouco tempo conseguiu espaço no cenário carioca, sendo atualmente conhecida nacionalmente. Um de seus líderes é Felp22, natural da Guarda do Embaú, Santa Catarina.

Começou a rimar aos 12 anos com influências do samba e reggae de sua terra natal. Desde sua adolescência, escutava grupos nacionais como Facção Central, DJ Jamaica, Pavilhao 9, Nde Naldinho, Gog, Detentos do Rap, entre outros. E internacionais como Jurassic Five, Eazy-E, Ice Cube, Cypress Hill, Notorius B.I.G e Tupac.

Em 2011, Felp22 e Terror dos Beats iniciaram o projeto "Esse é meu estilo", rimas de caráter pesado se mesclam com o estilo de batidas leves e descontraídas. Terror dos Beats, por sua vez, começou a rimar aos 17 anos. Carioca de origem, morou certo tempo na região serrana do Rio de Janeiro, onde se interessou mais pelo rap formando o grupo ADL Mc's.

Em 2009, já produzia os instrumentais para suas próprias músicas, despediu-se dos microfones e passou a se dedicar exclusivamente às batidas. Das suas influências, destaque para The Alchemist, Dillated People, Dr. Dre, Quinto Andar e Sabotage.

Serviço

O quê

Cacife Clandestino

Quando

Sábado, 16h

Onde

Chama Maré (Ponta d’Areia)

Ingressos

R$: R$60,00 e R$80,00 (casadinha), à venda na Bilheteria Digital do Shopping da Ilha e Rio Poty Hotel

Serviço

O quê

Pré-lançamento do CD da banda Crioulo D’Ifé

Quando

Sábado, às 21h

Onde

No bar Novas Fronteiras (Vinhais)

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte