Alternativo | Cinema

Brasil de Todas as Telas amplia recursos para distribuição de filmes

Chamada pública oferece oportunidades para distribuidoras brasileiras independentes
22/10/2016
Brasil de Todas as Telas amplia recursos para distribuição de filmesChamada é para seleção de projetos de distribuição de obras cinematográficas para exploração em todos os segmentos de mercado (Ilustração)

BRASÍLIA - A Agência Nacional do Cinema (Ancine) lançou a Chamada Pública Prodecine 03/2016, destinada à seleção de projetos de distribuição de obras cinematográficas para exploração em todos os segmentos de mercado, com destinação inicial às salas de exibição.

A nova Chamada Pública do Programa Brasil de Todas as Telas, que funciona em regime de fluxo contínuo, traz duas importantes mudanças em relação à Chamada de 2013: o aumento dos recursos aportados pelo Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) – passando de R$ 5 milhões para R$ 30 milhões - e a divisão por modalidades para as propostas de distribuição.

Serão três modalidades de investimento, de acordo com o tamanho do lançamento do longa-metragem de ficção, documentário ou animação. Na modalidade A, serão disponibilizados até R$ 500 mil para obras com lançamento comercial em, no mínimo, 100 salas de cinema, simultaneamente, por ao menos uma semana. Para essa modalidade serão destinados um total de R$ 20 milhões.

Os outros R$ 10 milhões do edital serão divididos entre as modalidades B e C. Na primeira se enquadram os lançamentos de obras para exibição em, no mínimo, 10 salas de cinema, simultaneamente, por ao menos uma semana. Já a modalidade C é para os lançamentos de obras para exibição em, no mínimo, 10 salas, não sendo obrigatória a simultaneidade.

Para a inscrição nas categorias A e B a produtora proponente deverá obrigatoriamente apresentar um contrato de distribuição. Já na modalidade C, é facultativo a vinculação com uma empresa distribuidora brasileira independente.

“A Ancine desde 2005 aposta em apoiar a distribuição dos filmes brasileiros e fortalecer as distribuidoras brasileiras. Nos últimos anos as distribuidoras brasileiras, fortalecidas pelos investimentos do Fundo Setorial do Audiovisual, assumiram a liderança de público dos filmes nacionais. A agência entende que todos os filmes realizados precisam encontrar seu público e para isto é importante que produtores e distribuidores trabalhem juntos”, avalia o diretor-presidente da Ancine, Manoel Rangel.

Programa

O Programa Brasil de Todas as Telas, lançado em julho de 2014, foi moldado para atuar na expansão do mercado e na universalização do acesso às obras audiovisuais brasileiras. Trata-se de uma ampla ação governamental que visa transformar o País em um centro relevante de produção e programação de conteúdos audiovisuais. Foi formulado pela Ancine em parceria com o MinC, e com a colaboração do setor audiovisual por meio de seus representantes no Comitê Gestor do Fundo Setorial do Audiovisual - FSA.

Até junho deste ano, foram 437 longas-metragens e 453 séries ou telefilmes apoiados. A aposta no investimento em desenvolvimento de projetos também foi bem-sucedida, rendendo a estruturação de 69 núcleos criativos em todas as regiões do país, e garantindo o desenvolvimento de 700 novos projetos de obras audiovisuais.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte