Economia | Dívidas

70% das famílias ludovicenses estão endividadas, diz pesquisa

Segundo Radiografia do Crédito e do Endividamento das Famílias, elaborada e divulgada pela FecomércioSP, em média, o valor da dívida é de R$ 1.056
O Estadoma.com, com informações de assessoria20/10/2016 às 11h15
70% das famílias ludovicenses estão endividadas, diz pesquisa

O percentual de famílias endividadas em São Luís chegou a 70% no mês de junho, como aponta a 6ª Radiografia do Crédito e do Endividamento das Famílias, divulgada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) nesta semana. Ainda segundo o levantamento, em geral o ludovicense deve R$ 1.056,00. Os dados completos podem ser acessados aqui.

De acordo com Reinaldo Domingos, educador financeiro presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), o primeiro passo para sair dessa situação é fazer um diagnóstico financeiro. “Durante 30 dias é preciso anotar todos os gastos separando por categorias, como ‘supermercado’, ‘roupas’ e ‘guloseimas’, para ver o comportamento em uma lupa. No final do período, é possível saber não apenas o quanto gastou, mas especialmente como usou o seu dinheiro, e então tem informações suficientes para melhorar seu comportamento”, orienta Domingos.

Antes de negociar dívidas com credores, é importante ter conhecimento sobre a real situação financeira, portanto, além do diagnóstico, é preciso conhecer todos os ganhos (salários, rendimentos de investimentos e recebimentos de aluguéis, se tiver) e todas as dívidas. Isso porque as que têm os juros mais altos, como cartão de crédito e cheque especial, e as que correspondem a produtos e serviços essenciais, como moradia, energia elétrica e água, devem ser priorizadas.

Nessa etapa, é muito importante reunir a família – incluindo as crianças –, falar sobre o problema e, em seguida, discutir as alternativas. Afinal, será necessário que mudanças no comportamento de todos aconteçam para que seja possível poupar para quitar as dívidas e, principalmente, para não retornar a situação de endividamento e inadimplência no futuro.

O pagamento das dívidas precisa ser bem administrado para que não gere inadimplência, que é quando a pessoas não conseguem pagar na data do vencimento. Caso isso aconteça, é importante não buscar uma nova forma de crédito para conseguir pagar a dívida em atraso sem atuar na causa do problema antes, que é o comportamento financeiro. Do contrário, a situação pode virar uma bola de neve.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte