Geral | Doença

Maranhão é 3º estado do país com mais casos de hanseníase

De acordo com levantamento do Ministério da Saúde (MS),o MA é o estado do Nordeste com a maior prevalência da doença
12/07/2016 às 12h01
Maranhão é 3º estado do país com mais casos de hanseníaseCarreta de Saúde promoverá, em São Luís, a detecção e o tratamento da doença (Reprodução)

SÃO LUÍS - Segundo o Ministério da Saúde, o Maranhão é o estado do Nordeste com a maior prevalência da hanseníase, e o terceiro do Brasil em números absolutos de novos casos diagnosticados a cada ano. A Carreta de Saúde chega nesta quinta, dia 14, a São Luís, no Maranhão, para promover a detecção e o tratamento da hanseníase e também diagnóstico de tuberculose. A ação acontece entre os dias 14 e 15 de julho na Praça Deodoro, no centro da cidade, das 8h às 17h.

Patrocinado pela Novartis, o caminhão itinerante possui cinco consultórios e um laboratório para o diagnóstico da doença. Com o apoio do Ministério da Saúde, a iniciativa da farmacêutica já diagnosticou mais de 3 mil casos em 17 estados brasileiros.

De acordo com o Ministério da Saúde, nos últimos anos houve redução de 68% na taxa de prevalência de hanseníase passando de 4,52, em 2003, para 1,42 por 10 mil habitantes, em 2013. Entretanto, a doença está presente em mais da metade dos municípios brasileiros e ainda é endêmica no país. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é o segundo no ranking de incidência da hanseníase no mundo, com mais de 30 mil pacientes, representando cerca de 15% de todo o planeta. Só em 2014 foram registrados mais de 24 mil casos no país.

A iniciativa reforça a missão da Novartis em colaborar com a campanha do Ministério da Saúde para combater a doença no Brasil, por meio de ações educativas, além do diagnóstico e tratamento. A farmacêutica estima que cerca de 25% dos casos de hanseníase registrados no Brasil a cada ano são diagnosticados pelo caminhão itinerante, considerando que com o diagnóstico de um paciente, é possível fazer um rastreamento dos familiares e também diagnosticá-los, pois há grandes chances de que eles também tenham a doença, já que a hanseníase tem um fator genético e também é transmissível caso não seja tratada.

Para tratar a doença, a Novartis fornece a poliquimioterapia (PQT) há mais de uma década, via Organização Mundial da Saúde (OMS). A PQT está disponível gratuitamente em toda a rede pública do Brasil e, além de curar a hanseníase, interrompe sua transmissão e previne as deformidades. Desde 2000, foram doadas pela Novartis mais de 4 milhões de unidades e 600 mil pacientes foram curados no país. Globalmente, a Novartis já investiu mais de US$ 80 milhões em ações de combate à hanseníase.

SERVIÇO

Carreta de Saúde – São Luís (MA)

Data: 14 a 15 de julho

Horário de atendimento: das 8h às 17h

Onde: Praça Deodoro, centro da cidade

Sobre a hanseníase

A Hanseníase é uma doença infecciosa que atinge a pele e os nervos das extremidades do corpo. O tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas pode variar de 2 a até mais de 10 anos. A hanseníase pode causar deformidades físicas, que podem ser evitadas com o diagnóstico no início da doença e o tratamento imediato.

A transmissão se dá por meio de uma pessoa doente que apresenta a forma infectante da doença e que, estando sem tratamento, elimina o bacilo por meio das vias respiratórias, podendo assim infectar outras pessoas suscetíveis.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte