Política | Nova derrota

Waldir Maranhão perde mais uma na Justiça para voltar a comandar o PP

Presidente interino da Câmara tentou recurso no Tribunal Federal para retornar a presidência do PP; ele já havia tentado na justiça estadual voltar a comandar o partido
Carla Lima / Subeditora de Política25/06/2016 às 14h00
Waldir Maranhão perde mais uma na Justiça para voltar a comandar o PP

O presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão, perdeu mais uma na Justiça. Desta vez, foi no Tribunal Federal do Distrito Federal (DF), onde impetrou recursos contra decisão de primeiro grau que indeferiu o pedido do parlamentar de retornar a presidência do PP, que ele perdeu após anular sessão que permitiu a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

Em abril, depois ter assumido a presidência da Câmara Federal interinamente após afastamento de Eduardo Cunha do cargo por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), Waldir Maranhão decidiu cancelar a sessão da Casa que teve a votação que permitiu a abertura do processo de impeachment contra Dilma Rousseff.

Pela decisão, que foi desconsiderada pelo Senado, Waldir Maranhão perdeu a presidência do PP. Sua destituição foi feita pelo presidente nacional do partido, senador Ciro Nogueira, que decidiu colocar o deputado federal André Fufuca no comando da legenda no Maranhão.

Com essa decisão da direção nacional, Waldir Maranhão entrou com ação com pedido de liminar querendo retornar a presidência do PP. A juiza da 14ª Vara Cível de São Luís negou pedido. Maranhão então recorreu ao Tribunal Federal na tentativa de voltar a comandar o PP. Ontem, Waldir Maranhão sofreu nova derrota ao ter o recurso negado.

O presidente do PP no Maranhão disse que é mais uma derrota de Waldir Maranhão que tentar voltar a comandar o partido para satisfazer interesses do grupo do qual faz parte no Estado.

Segundo Fufuca, a intenção é mudar os caminhos do partido nas eleições deste ano em São Luís. “Isso [tentativa de retornar ao comando do PP] é mais um ato do grupo dele [Waldir Maranhão] que são de interesse de ter o PP na mão até mesmo porque estamos no período eleitoral e o cenário mudou muito depois que assumi a presidência”, disse André Fufuca.

Expulsão – Enquanto Waldir Maranhão tenta retornar a presidência do PP, tramita na direção nacional da legenda o processo de expulsão dele. Essa proposta foi feita por membros da bancada do PP na Câmara Federal na época em que Waldir anulou a sessão do impeachment.

Ainda não há definição sobre o processo. No entanto, caso seja expulso, Maranhão tem lugar garantido no PcdoB, pelo menos, segundo o governador Flávio Dino que foi um dos principais articuladores do ofício de Maranhão que anulou a sessão do impechament.

Além disso, Waldir Maranhão ainda sofre pressão constante de partidos que fazem parte do bloco do PP para que ele deixe a presidência da Câmara Federal. Segundo André Fufuca, as lideranças dos partidos afirmam que enquanto Maranhão não deixar o comando da Casa, as votações não acontecerão.

Há interesses no grupo dele [Waldir Maranhão] de ter o PP nas mãos novamente até por achar que poderá manipular o deputado Wellington do CursoAndré Fufuca, deputado federal e presidente do PP

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte