Polícia | Segurança

Concursados exigem nomeação na Polícia Civil, que tem um grande déficit de pessoal na folha

Grupo de 16 pessoas briga para assumir cargos de investigador e escrivão; demonstrativo aponta 728 vagas ociosas
OESTADOMA.COM24/06/2016 às 15h27
Polícia Civil do Maranhão tem mais de 700 cargos não ocupados

SÃO LUÍS – Vendo o número de pessoas que trabalham na Polícia Civil do Maranhão e a quantidade de vagas estabelecidas por Lei, fica bem claro a discrepância entre o que é projetado para atender a população e o que, de fato, é investido na prestação do serviço. Só para se ter uma ideia, existem atualmente 83 cargos vagos para escrivão no estado, já que deveriam estar trabalhando 400 pessoas nesta função e apenas 317 estão nomeados. E esse tipo de déficit acontece em quase todas os cargos. Diante deste cenário, um grupo de 16 pessoas cobra do Governador Flávio nomeação na polícia. Eles foram aprovados em concurso, realizaram o curso de formação da Academia Integrada de Segurança Pública e nunca foram chamados.

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Maranhão (Sinpol-MA), Heleudo Moreira, confirmou a ociosidade destas vagas e pediu mais colaboração do Governo: “Estamos tendo negociações com o Conselho de Polícia do estado para resolvermos este problema. Todo mundo sabe da existência deste problema e isso tem que ser resolvido. Nós estamos mantendo esse diálogo com a cúpula do polícia. Falta também um pouco de sensibilidade do executivo para chegarmos a esse acordo”, explicou.

As 16 pessoas – 12 investigadores e 4 escrivães - que reivindicam as nomeações passaram pela última turma de formação, que se encerrou no fim de 2015. Em contato com a redação de OEstadoMA.com, apesar de preferir não se identificar, eles fizeram um desabafo: “Mesmo diante do caos na segurança e com a pressão da greve da categoria pedindo melhores condições de trabalho, salários e mais recurso humanos, o governador insiste em negar a nossa nomeação, frustrando a nós e a nossas famílias e prejudicando a sociedade”.

Demonstrativo de vagas da Polícia Civil do Maranhão

O presidente do Sinpol-MA também falou sobre o fato de o estado já ter gasto dinheiro na formação destas pessoas. “Houve gasto de dinheiro público com estes profissionais, portanto, é uma incoerência essa situação”, disse. No atual momento, 1.179 investigadores de polícia são nomeados no estado, para um total de 1.500 vagas, ou seja, existem 321 cargos não ocupados. Segundo o demonstrativo por cargo da Secretaria de Segurança Pública (SSP-MA), existem mais de 700 vagas em aberto.

Posicionamento do Governo

Em nota enviada à reportagem, o Governo do Estado do Maranhão, por meio da SSP-MA, afirma que “que está providenciando a nomeação dos referidos investigadores e escrivãs, por meio de um acordo judicial. A Procuradoria Geral do Estado (PGE) está dando prosseguimento aos trâmites necessários, para que a nomeação dos candidatos ocorra brevemente”.

Ainda no seu comunicado, o executivo garante que “as providências a serem concluídas são similares às que resultaram em acordo judicial, que permitiu a nomeação de 19 médicos legistas, peritos e auxiliares de perícia, dos quais, cinco já tomaram posse”.

Certificado de um dos alunos da Academia da Polícia

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte