Polícia | Crimes

Duas prisões por estupros de vulneráveis foram registradas em Lago Verde e Zé Doca ontem

Nos dois casos, as vítimas, de 15 e 12 anos, tinham problemas mentais; homem abusava da neta havia seis anos
O Estadoma.com10/06/2016 às 09h18
Duas prisões por estupros de vulneráveis foram registradas em Lago Verde e Zé Doca ontemAntonio Carlos Bezerra de Oliveira, foi preso em Bacabal, e Benedito Freitas dos Santos, foi preso em Zé Doca (Divulgação)

Um homem identificado como Antonio Carlos Bezerra de Oliveira, de 44 anos, foi preso ontem pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Regional de Bacabal, em cumprimento ao mandado de prisão expedido pela Comarca do município. Ele é acusado de estuprar a própria enteada de 15 anos, que é portadora de paralisia cerebral. O crime ocorreu na última segunda-feira (6), no município de Lago Verde.

Segundo informações do delegado Elson Ramos, titular da Regional de Bacabal, a mãe da menina desconfiou quando, ao dar banho na filha, percebeu que ela sentia um desconforto nas partes íntimas e a levou para fazer um exame de conjunção carnal, que acusou laceração na área. A garota apontou o padrasto, que acabou confessando o crime.

Outro caso semelhante foi registrado no município de Zé Doca, onde foi preso, ontem, pela polícia, Benedito Freitas dos Santos, de 74 anos, acusado de estuprar a própria neta, de 12 anos, que também sofre de problemas mentais. Em março deste ano, um missionário de uma igreja evangélica, identificado como Daniel da Conceição Rodrigues, de 44 anos, foi preso por ter estuprado uma criança de 8 anos, no município de Estreito.

Casos de estupros, inclusive com menores de idade como vítimas, ganharam maior visibilidade no mês passado, quando uma adolescente de 16 anos foi vítima de um estupro coletivo. O caso, registrado no Rio de Janeiro, teve repercussão nacional e internacional, e deu início a uma série de manifestações, iniciadas nas redes sociais, para combater a cultura do estupro.

Leia mais:

- Para secretário da Segurança, casos de estupros têm relação com crise econômica

- Coletivos femininos promovem hoje vigília em frente a delegacia

- Polícia Civil do Rio diz ter convicção de que houve estupro coletivo

- Maranhenses se mobilizam para discutir cultura do estupro

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte