Política | Segundo jornal

Waldir Maranhão mentiu à Justiça Eleitoral sobre campanha de 2010

Parlamentar disse que vendeu imóvel para fazer uma doação para sua própria campanha de reeleição, mas negócio nunca foi efetivado
OESTADOMA.COM30/05/2016 às 13h59
Casa de Waldir Maranhão em São Luís

SÃO LUÍS - O presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), fraudou as contas eleitorais em campanha para deputado em 2010. Para justificar os gastos da eleição, ele declarou à Justiça Eleitoral a venda de uma casa em bairro nobre de São Luís, mas até hoje o parlamentar e a família moram no imóvel. A informação foi divulgada neste domingo pelo O Globo.

O deputado teria alegado que usou o dinheiro da venda do imóvel para fazer uma doação para sua própria campanha de reeleição, mas a transação nunca foi efetivada e até hoje a casa está registrada em seu nome e de sua esposa. De acordo com o jornal, Maranhão teria dito à Justiça Eleitoral ter doado para si mesmo R$ 557,6 mi para explicar os recursos arrecadados em 2010. O alto valor despertou a atenção do Ministério Público Eleitoral, já que o seu patrimônio era de apenas R$ 16,5 mil.

Waldir Maranhão disse que fez empréstimo

Em investigação, o presidente interino afirmou que havia pedido um empréstimo de R$ 98 mil do Banco do Brasil e o resto do dinheiro teria sido completada com sua renda como deputado e secretário de Ciência e Tecnologia do Estado.

O Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) informou que o julgamento do caso que investigava as contas de Maranhão já foi encerrado e que não há denúncia ou processo em que o parlamentar seja réu.

Nota divulgada pela assessoria de imprensa da presidência da Câmara no jornal diz que Maranhão não responde mais a qualquer processo no TRE-MA. Além disso, a comunicação do Ministério Público informou que considerou o caso encerrado, depois da decisão da Justiça.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte