Esporte | Superação

Estudante maranhense conquista título inédito no Kickboxing

Mesmo dividindo tempo entre o curso de medicina e o esporte, Chelsea Magalhães ganhou o Brasileiro na modalidade lowkicks e já mira o Panamericano
OESTADOMA.COM30/05/2016 às 15h57
Chelsea foi campeão na disputa com atletas com mais de 70kg

SÃO LUÍS – Ela se desdobra entre o curso de medicina e os treinos. Diz que por várias vezes foi para a faculdade com a roupa de atleta por baixo do jaleco, dormiu tarde e acordou várias vezes mais cedo para estudar antes de sair de casa, mas garante que tudo valeu apena. Chelsea Magalhães Tavares da Silva é a primeira atleta do Maranhão a conquistar um título brasileiro de Kickboxing e garante que não pretende parar. Ela foi campeã, no último fim de semana, na categoria lowkicks, que agrupa atletas com mais de 70kg. Cerca de 3.600 lutadores de 24 estados brasileiros e do Distrito Federal participaram da disputa, no estádio do Morumbi, em São Paulo.

Com quase seis anos de prática na modalidade, Chelsea nunca havia disputado uma competição. “Sempre vi meus amigos de academia em disputas de campeonatos, mas, infelizmente, nunca tinha ido. Enfim consegui e vencer foi ainda mais legal”, comentou.

Sobre o título, a atleta fala que, apesar de muita dedicação, foi uma surpresa. El brinca e diz que demorou bastante para acreditar. “Eu estava no ringue, com o árbitro levantando a minha mão, e não acreditava. Demorou para a ficha cair. Mas eu estou feliz mesmo”, disse.

Chelsea falou também sobre a rotina cansativa que tem e que ficou ainda mais exaustiva com os treinamentos para a competição nacional. “Já faltei a vários treinos por causa do horário. Várias vezes fui à aula com minha rouba de treino por baixo. Saia tarde da faculdade, mas não ia para casa, seguia para academia. Perdi a conta de quantos dias acordei mais cedo para estudar porque não tive tempo por causa dos treinos. Mas acho que tudo valeu muito apena”.

Depois da conquista nacional, Chelsea garante que não pretende parar e já sonha com a disputa do Campeonato Panamericano. Como é a campeã brasileira em sua categoria, a maranhense ganhou o direito de disputar o torneio internacional.

Dois treinadores e pouco apoio

Chelsea afirma que, mesmo após o título, demorou para acreditar na conquista

Chelsea Magalhães Tavares da Silva completará seis anos de kickboxing no dia 6 de agosto e é muito dedicada, apesar das dificuldades que tem por causa do tempo. Mesmo com tantos obstáculos, a atleta tem a chance de ter dois técnicos, o que acaba sendo um incentivo a mais. Pena que o caso dela não é muito comum, já que a maioria dos competidores do Maranhão não viaja por falta de apoio.

“Esse título da Chalsea foi muito gratificante para gente. Nos dedicamos muito e trazer medalhas sempre nos dar mais força. Competimos apenas duas vezes por ano, já que a maioria dos campeonatos é realizada na região sul e sudeste do país. Mesmo com essa distância do centro, nós sempre estamos conquistando bons resultados. Já temos dois terceiros lugares, dois vices sul-americanos e um vice brasileiro, além deste último título. Temos mais atletas em condições de competir em alto nível, mas, infelizmente, nem todos têm condições de viajar para outros estados”, conta Bernardo Leite, um dos técnicos de Chelsea.

Bernardo fala também sobre a dedicação da atleta e do outro treinador. “A chelsea é muito dedicada. Se divide entre os estudos e o Kickboxing. Esse título é muito merecido. E não podemos falar dessa conquista sem exaltar, também, o trabalho do professor Eloy, que incansável no incentivo aos atletas do Maranhão.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte