Cidades | Ausência

Pais denunciam situação de escola no Cruzeiro do Anil

Segundo os denunciantes, a Unidade Escolar Maria do Carmo Abreu da Silveira estaria com carência de professores e materiais didáticos
16/04/2016
Pais denunciam situação de escola  no Cruzeiro do AnilPais reclamam de escola pública estadual localizada no Cruzeiro do Anil, que está com falta de professores (Flora Dolores / O Estado)

Pais com filhos matriculados na Unidade Escolar Maria do Carmo Abreu da Silveira, no Cruzeiro do Anil, em São Luís, reclamam das atuais condições da unidade de ensino. Eles alegam que faltam professores na unidade, situação essa que tem prejudicado os estudantes.

A unidade atende hoje cerca de 600 alunos, divididos entre os dois turnos no ensino fundamental. Localizada na Avenida São Sebastião, a escola funciona hoje em regime de colaboração. Cabe ao Estado e Município a administração da unidade.

Problemas
No entanto, a unidade vem sendo alvo de reclamações de pais dos estudantes e a maioria delas refere-se à falta de professores. O técnico de som Manoel Neto Pinto tem duas filhas matriculadas no colégio e contou que elas estão sendo prejudicadas com a falta de docentes.

Sobre essa situação, ele fez uma postagem em uma rede social, na qual mostrou sua revolta com o descaso das autoridades competentes. Ele contou que uma das professoras pegou de volta o livro didático para utilizá-lo em outra turma. “Quer dizer que outra criança precisa e a minha filha, não?”, questionou.

Ele afirmou ainda que o meio do ano está se aproximando e até agora a situação não foi resolvida. “Até agora, temos apenas os problemas e nenhuma solução”, disse.

A coordenadora pedagógica da escola, Regina Sheila Bordalo, afirmou que a carência de professores da unidade refere-se apenas aos alunos da 8ª série e da disciplina de Ciências.
Contudo, ela disse que a situação já estava sendo resolvida, pois os professores aprovadores recentemente no último concurso trabalharão na unidade. “O concurso já foi homologado, e estamos apenas aguardando uma decisão da Secretaria de Educação”, disse.

Sobre a falta de livros didáticos, ela afirmou que os materiais são cedidos pelo Governo Federal, por meio de um convênio, e que são reutilizados a cada ano. A coordenadora frisou que a direção geral da escola já está ciente da situação, em busca das soluções para o problema.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte