Edição Digital

Polícia | Intimidação

Terceiro blogueiro é assassinado no interior do Maranhão em menos de um ano

Bem-Hur, que mantinha site de política na internet, foi alvejados por disparos nas costas; polícia fala em pistolagem
OESTADOMA.COM 12/04/2016 às 16h05
Manoel Bem-hur manitinha site de política e era também funcionário da Prefeitura de Grajaú

SÃO LUÍS – E menos de um ano três blogueiros foram assassinados no interior do Maranhão. Depois das execuções de Ítalo Diniz, em Governador Nunes Freire, e o Roberto Lano, na cidade de Buriticupu, neste sábado (9) foi a vez de Manoel Messias Pereira, conhecido Manoel Bem-Hur, ser ceifado. Como nas ações semelhante a dos crimes cometidos no fim do ano passado, Bem-Hur foi morto a tiros quando dirigia sua motocicleta em uma via do município de Grajaú. Na mesma linha de investigação dos outros dois crimes, a Superintendência de Polícia Civil do Interior acredito que o crime tenha sido praticado por pistoleiros.

SAIBA MAIS

Polícia investiga assassinato de proprietário de site em Grajaú

Assassinatos de blogueiros: Abraji manifesta preocupação com os crimes no Maranhão

No Maranhão é tão perigoso ser jornalista quanto na Somália

No dia 13 de outubro de 2015, o blogueiro Ítalo Diniz Barros, de 30 anos, foi morto na cidade de Governador Nunes Freire. Dias depois, foi morto outro blogueiro, Orislândio Timóteo Araújo, o Roberto Lano, assassinado no município de Buriticupu. Segundo a polícia, Roberto Lano foi atingido por disparos por um suspeito em uma motocicleta e morreu ainda no local do crime. As características do assassinato de Roberto Lano se assemelham às de Ítalo Diniz, que foi morto também por dois homens que estavam em uma moto.

Neste último assassinato, que ocorreu no sábado, Manoel Bem-Hur dirigia uma motocicleta em via pública, nas proximidades da escola Hilton Nunes, no bairro Canoeiro, em Grajaú, quando dois homens teriam efetuado vários disparos pelas suas costas. Segundo a polícia, nenhum pertence da vítima foi levado pelos assassinos. O blogueiro, que também era funcionário da prefeitura da cidade, foi levado para um hospital, mas morreu quando estava sendo transferido para o município de Coroatá, onde teriam um suporte melhor.

Política, internet e opinião

Além de funcionário público, Ben-Hur matinha um site chamado sediverte.com, que era alimentado com notícias variadas, mas tinha como ponto forte em sua linha editorial a política, situação semelhante a das duas últimas vítimas. Inclusive, a última postagem na página eletrônica, antes do assassinato, tinha sido sobre a composição das chapas para a corrida eleitoral à prefeitura de Grajaú.

José Arão, que é vereador da cidade, disse em entrevista Domingo Mirante, que Bem-Hur era muito conhecido na região, porém não tinha inimigos. “Ele [Manoel] tinha muitos conhecidos. Até onde sei, não tinha inimigos. Mas é um trabalho de apuração que caberá à polícia, a partir de agora”, disse.

De acordo com familiares, Manoel Ben-Hur já havia perdido um irmão vítima de arma de fogo, há alguns anos.

Investigação e pistolagem

Em entrevista a OESTADO.COM, o delegado Dicival Gonçaves, que é superintende da polícia no interior do Maranhão, os primeiro indícios apontam para um possível caso de pistolagem, já que a vítima foi assassinada com tiros nas cotas e nenhum de seus pertences, inclusive sua motocicleta, foram levados pelos assassinos.

“Apesar de não descartamos nenhuma possibilidade, estamos trabalhando com a ideia de crime de pistolagem, já que as características deste crime nos levam a essa linha de investigação”, disse.

Ainda segundo o delegado, as investigações sobre o assassinato estão sendo conduzidas pela polícia de Barra do Corda.

Ítalo Diniz e foi assassinado em Governador Nunes Freire e Roberto Lano em Buriticupu

Sobre as mortes de Ítalo Diniz Barros e Roberto Lano, Dicival informou que as investigações estão sendo conduzidas pelo departamento de homicídios da capital.

Em São Luís, o caso mais famoso é o do blogueiro Décio Sá, que foi assassinado no 23 de abril de 2012, na Avenida Litorânea, com vários tiros. Até hoje, apenas o assassino confesso, Jhonatan de Sousa Silva, e um comparsa, foram julgados e condenados. Os suspeitos de serem os mandantes do crime seguem presos, mas ainda não foram condenados.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2018 - Todos os direitos reservados.