Oscar 2016

Um prêmio musical

Documentários sobre Amy Winehouse e Nina Simone, além de canções interpretadas por Lady Gaga, The Weeknd e Sam Smith agitam 88ª edição da cerimônia do Oscar

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h50
Lady Gaga será uma das atrações da noite
Lady Gaga será uma das atrações da noite (Lady Gaga)

Não é de hoje que a música puxa o cinema e vice-versa. Vários cantores tiveram suas carreiras impulsionadas pelo cinema ou o cinema projetou a carreira de desconhecidos atores a renomados cantores. A troca é mútua. Como prova disto, a 88ª edição do Oscar não fugiu a regra. Dois filmes sobre estrelas falecidas do jazz e soul são os favoritos na categoria de Melhor Documentário. Lady Gaga, The Weeknd e Sam Smith prometem shows ao vivo históricos para dar mais visibilidade as suas músicas, que seguem em disputa na categoria de Melhor Canção Original.

Quem segue como favorito é o documentário “Amy”, que traz imagens inéditas desde a infância da cantora londrina Amy Winehouse, morta em 2011. Dirigido por Asif Kapadia (o mesmo diretor de “Senna”, que contou a história do piloto brasileiro de Fórmula 1), a produção gerou muitas polêmicas. Uma delas é o fato da família Winehouse ser descrita como ausente, imprudente, oportunista e mercenária (como é o caso do pai, Mitch).

Outra forte concorrente na categoria de Melhor Documentário é “What happened, Miss Simone?”. O filme dirigido por Liz Garbus é um dos dois documentários da Netflix que foram indicados ao Oscar – o outro é “Winter on fire: Ukraine’s Fight for Freedom”, sobre a revolta na Ucrânia. O filme sobre Nina Simone esboça tristes semelhanças com o de Winehouse: a carreira meteórica em contraste com as constantes crises na vida pessoal.

Criatura x Criador

A disputa também promete ser empolgante entre Lady Gaga (a criadora) e Sam Smith (a criatura). É que Smith, que tem pouco tempo de carreira, venera a performática Gaga. O britânico não esconde de ninguém que é fã da “Mother Monster” (como a cantora é conhecida pelos fãs). Ela defende a música "Til it happens to you", assinada em parceria com Diane Warren para o documentário “The hunting ground”, que descreve casos de estupros em universidades dos Estados Unidos.

No entanto, boas polêmicas rondam o Oscar. Linda Perry, que teve sua música “Hands of Love” (do filme “Freeheld”) interpretada por Miley Cyrus rejeitada pela Academia, acusou Lady Gaga e não ter escrito uma linha sequer de "Til it happens to you". O bafafá aqueceu as redes sociais e Linda teve que pedir desculpas.

Na rebarba segue Sam Smith, que venceu o Globo de Ouro 2016 de Melhor Canção por “Writing's on the Wall”, do filme “007 contra Spectre”. A música foi composta em parceria com Jimmy Napes, o mesmo produtor de outros sucessos do cantor, como “Stay with me”. A canção lembra muito outra premiada no Oscar, “Skyfall”, que inclusive integrou o set list de outra franquia “007” e é interpretada por Adele.

Na categoria de Melhor Trilha Sonora, o embate é de veteranos: o italiano Ennio Morricone, que já recebeu cinco indicações no Oscar e não venceu nenhum, é mais bem cotado por "Os oito odiados". John Williams, que tem assustadoras 50 indicações no Oscar, mas conquistou somente cinco estatuetas, é o segundo favorito por "Star Wars: O despertar da força". Os outros indicados são Carter Burwell ​(“Carol”), Jóhann Jóhannsson​ (“Sicario”) e Thomas Newman (“Ponte dos Espiões”).

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.