Combate ao mosquito

Forças Armadas começam hoje atuação contra Aedes aegypti em São Luís

Militares da Marinha, Exército e Aeronáutica irão as ruas da capital maranhense na manhã de hoje para auxiliar nos trabalhos de combate ao mosquito transmissor da Dengue, Febre Chikungunya e da Zika.

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h51

Marinha, Exército e Ae­ronáutica se engajarão a partir de hoje na luta contra o Aedes aegypti. As Forças Armadas estarão nas ruas de São Luís, juntamente com os agentes de endemias, desenvolvendo uma série de ações para acabar com o mosquito transmissor da dengue, febre chikungunya e da zika. A atividade de hoje terá a presença do ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, que virá para a capital acompanhar os trabalhos.

Em todo o Maranhão, cerca de 1.500 militares das Forças Armadas atuarão no combate ao inseto. Na atividade de hoje, os bairros São Francisco e Ilhinha, considerados de alto risco de infestação do mosquito pelo Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (Liraa), receberão durante toda a manhã as ações, e os moradores serão orienta­dos no sentido de manter o local li­vre dos criadouros do Aedes aegypti.

Atuação
O trabalho das Forças Armadas foi dividido em quatro etapas. A primeira começou no fim de janeiro, com o mutirão de organização, quando foram definidas principalmente as estratégias que serão colocadas em prática.

Hoje tem início a segunda etapa das atividades, que será realizada não apenas em São Luís, mas em todo o território nacional. Na ação, os militares acompanharão os agentes de controle de endemias nas casas habitadas e em locais de difícil acesso, como em imóveis fechados, auxiliando nas ações desenvolvidas, principalmente naquelas que exigirão maior esforço físico. Além disso, eles também farão a distribuição de material impresso, com orientações para que a população se informe e se engaje no combate ao mosquito.

Nas casas que estiverem desabitadas, o material informativo será deixado nas caixas de correspondência. Os donos de estabelecimen­tos comerciais também serão orientados a fixar cartazes em local visível e de fácil acesso.

De 15 a 18 deste mês, ocorrerá a terceira etapa da atuação das Forças Armadas. Essa fase do trabalho será realizada em uma ação coordenada com o Ministério da Saúde (MS), e serão realizadas visitas domiciliares, inspeção de possíveis fo­cos de proliferação do mosquito, orientação de moradores e aplicação de larvicida em criadouros.

Visitação
A última etapa, em fase de discussão com o Ministério da Educação (MEC), prevê a utilização de efetivos militares em visitas a escolas. A meta é reforçar o trabalho de conscientização das crianças e adolescentes sobre como evitar a proliferação do mosquito transmissor.

Em São Luís, as Forças Armadas são representadas pela Capitania dos Portos do Maranhão (CPMA), pelo 24º Batalhão de Infantaria Leve (24º BIL) e pelo Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), juntamente com o Destacamento de Controle do Espaço Aéreo (DTCEA), que representam a Marinha, Exército e Aeronáutica, respectivamente.

Em cada estado, foi escolhido o coordenador de área, que recebe as instruções diretamente do Ministério da Defesa e as repassa para os outros envolvidos na atividade. No Maranhão, a coordenação ficou a cargo do CLA, cujo diretor é o coronel Cláudio Olany.

“A participação das Forças Armadas no Maranhão envolve toda uma preparação para emprego das tropas em cumprimento a uma de nossas atribuições subsidiárias que é a cooperação com a Defesa Civil nacional, conforme diretrizes emanadas pelo Ministério da Defesa e coordenação do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas. No últi­mo mês, militares em todo o Brasil têm participado de treinamentos, visando atuar nos municípios que têm apresentado um alto número de notificações de casos de dengue, febre chikungunya e zika vírus. No Maranhão, não poderia deixar de ser diferente. Esta data marca a ampliação das ações que já vêm sendo empreendidas nas organizações militares e nas áreas próximas”, explicou o coronel Olay.

No interior do estado, as Forças Armadas atuarão com um contingente aproximado de 655 militares. Em Alcântara, 200 realizarão a conscientização e sensibilização dos moradores do município com a distribuição de material informativo, além de prestar orientações e auxiliar na eliminação de focos do mosquito.

Em Imperatriz, principal município do interior do Maranhão, cerca de 455 militares das três Forças pertencentes ao 50º Batalhão de Infantaria de Selva (50º BIS), Agência Fluvial de Imperatriz e Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Imperatriz (DTCEA-IZ) também atuarão em conjunto com agentes de saúde pública municipais.

Trabalho contínuo
De acordo com o capitão de mar e guerra André Trindade, comandan­te da Capitania dos Portos do Maranhão, 90% do efetivo da unidade foi mobilizado para o enfrentamen­to do mosquito Aedes aegypti e já estará à disposição a partir de hoje, para atuação nas ruas.

Ele afirmou também que será feito um trabalho contínuo ao longo dos dias para que o efeito alcançado com a ação de hoje não seja dissipado. “O nosso propósito é atingir 100% dos imóveis planejados ou então o máximo do que foi designado”, destacou o comandante Trindade. Ele afirmou ainda que as ações serão estendidas para o interior do estado.

O comandante do 24º BIL, coronel Carlos Azevedo, afirmou que, além da unidade, a 27ª Circunscrição do Serviço Militar (27ª CSM), localizada no centro da cidade, e o 50º Batalhão de Infantaria de Selva (50º BIS), em Imperatriz, estão envolvidos no combate ao Aedes aegypti.

Na capital maranhense, mais de 200 militares do Exército foram capacitados para atuar juntamente com os agentes de controle de endemias, facilitando o acesso desses profissionais em locais de difícil acesso, revirando caixas e entulhos que contenham água parada que favoreça a proliferação do mosquito e ainda distribuindo materiais informativos para a população.

Já durante a tarde, o 24º BIL desenvolverá as ações nas comunidades próximas ao batalhão, co­mo João Paulo e Bairro de Fátima. Nos próximos dias, as ações também serão desenvolvidas em outros locais da cidade e no interior do estado.

Expectativa
Para o capitão de mar e guerra Trindade, a presença dos militares na luta contra o mosquito transmissor da dengue, febre chikungunya e do zika e importante, pois vai trazer mais motivação para todos e ainda representa a união na luta contra um inimigo comum.

“As Forças Armadas estão sempre prontas para atuar no que for preciso, na defesa da população. A presença do militar é importante, pois traz mais confiança para a população. O pessoal está motivado, pois o mosquito virou o inimigo número 1”, disse.

O comandante do 24º BIL, coronel Carlos Azevedo, disse que toda a sociedade vai ser beneficiada com a ação. “O ganho será para to­da a sociedade, pois a ação vai permitir uma integração entre as Forças Armadas, e ainda representa uma economia em termos de estrutura, porque elas serão utilizadas por todos”, frisou.

No Maranhão, quase 600 mil imóveis já foram visitados

Um total de 597.846 imóveis em todo o Maranhão foi visitado por agentes de saúde. As visitas aconteceram em 127 municípios. A informação foi divulgada ontem, pelo Ministério da Saúde (MS). Em todo o Brasil, 23,8 milhões de imóveis foram visitados.
O quantitativo inclui domicílios e prédios públicos, comerciais e industriais, conforme balanço da Sala Nacional de Coordenação e Controle (SNCC) de Enfrentamen­to à Microcefalia. Todos os estados e o Distrito Federal registraram as ações das equipes no Sistema Informatizado de Monitoramento da Presidência da República (SIM-PR).
Entre os estados, a Paraíba e o Piauí permanecem entre os que registraram maior percentual de imóveis percorridos: 79,1% e 77,8, respectivamente. Na sequência, aparece Minas Gerais, com 67,7% de cobertura, sendo a maior unidade federativa em números absolutos: 4,8 milhões de estabelecimentos. O estado de São Paulo é o segundo em visitas, com 4,3 milhões (26,3%). Já o Rio de Janeiro segue como terceiro, totalizando 3,2 milhões (48,6% do total).
Desde o dia 1º, o Governo Federal autorizou a entrada forçada de agentes públicos de combate ao Aedes em imóveis públicos ou particulares que estejam abandonados, ou em locais com potencial existência de focos, no caso de ausência de pessoa que possa permitir o acesso.

SAIBA MAIS
Mobilização contra o mosquito

As Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica); o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES); as secretarias municipais de Saúde (Semus) e Obras e Serviços Públicos (Semosp); a Defesa Civil; o Corpo de Bombeiros e demais instituições que integram o Comitê Interinstitucional de Combate ao mosquito no Estado realizarão a mobilização em São Luís, na manhã de hoje denominada ‘Sábado da Faxina’, que acontece das 8h às 12h. O ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, e o governador Flávio Dino (PC do B) farão a abertura da mobilização, que também contará com a presença do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT). Mais de 8 mil imóveis serão visitados por 286 Agentes de Endemias e 48 Supervisores de Campo em São Luís, acompanhados pelos militares do Exército, Aeronáutica e Marinha além de homens da Defesa Civil e Corpo de Bombeiros. Além das ações de visitação das casas e repasse de informações à população, carros de aplicação de inseticidas Ultra Baixo Volume (UBV) da SES serão destacados para a área da mobilização. Na ocasião acontecerá também a operação ‘Bota Fora’, onde dois caminhões da Semosp farão o recolhimento de entulhos dos quintais dos moradores, fazendo o descarte adequado e evitando possíveis locais de proliferação do mosquito.

Correios
Os Correios começam a entregar hoje 20 milhões de panfletos nas residências e no comércio com informações sobre como identificar pontos de reprodução do Aedes aegypti e como combatê-lo. A ação integra o Dia Nacional de Combate ao mosquito Aedes aegypti, que contará com a participação do ministro das Comunicações, André Figueiredo, e do presidente dos Correios, Giovanni Queiroz, que estarão nos estados do Ceará e de Goiás, respectivamente.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.