Outra vez...

Após obra, asfalto cede e forma várias crateras

Assim como outros casos, a Construtora Artec foi a responsável pela obra realizada na rua a serviço da Caema; buracos se formaram no Cohajap

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h52

Moradores da Rua 1, no Cohajap, iniciaram 2016 com um grande problema: o asfalto da via cedeu em vários pontos, formando crateras. Uma obra foi realizada recentemente no local a serviço da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema). A prestadora de serviços que executou os reparos no asfalto foi a mesma responsável por outras duas obras que também desmoronaram depois de entregues.

Ontem, o dia começou chuvoso e o asfalto não resistiu. No começo da manhã , os buracos provocaram um acidente com um veículo de passeio. Horas depois, um ônibus da linha Cohama passava pelo local e afundou o lado direito.

Os moradores ficaram impossibilitados de retirar seus carros de casa por causa dos buracos e do ônibus. Como muitos canos se romperam, uma grande quantidade de água potável foi desperdiçada.

Reclamações
De acordo com os moradores, já se passaram dois meses desde que uma obra nas tubulações de água e esgoto. Depois de entregue, ainda foram realizados vários reparos.
“Demorou muito para asfaltar e quando estavam fazendo o serviço sempre dizíamos que estava mal feito. Quando passaram o asfalto, deixaram nossa calçada quebrada”, disse o empresário Marcelo Rezende.

Ele lembra ainda que os problemas mais graves começaram a surgir há poucos dias e nenhuma intervenção foi feita pela Caema apesar dos chamados dos moradores. “Primeiro esgoto estourou há uma semana. Chamamos a Caema e disseram que só poderiam vir resolver o problema no dia 4. Depois estourou outra encanação. Na primeira chuva do ano aconteceu isso”, disse.

O estudante de Engenharia Lucas Rezende destacou que os prejuízos poderiam ser maiores. “Essa fundação é parecida com as das casas. Com esse vazamento de água, as casas podem ter uma infiltração e acontecer um desmoronamento no passeio e na fundação das casas. A gente tem esse receio por causa do excesso de água também”, ressaltou.

Ele frisou ainda o histórico de problemas nas obras realizadas pela empresa e defende uma intervenção administrativa urgente na construtora que vem prestando serviços à Caema. “Surgem notícias a todo o instante que evidenciam que essas obras estão sendo mal executadas em toda a cidade e tem trazido problemas para vários bairros”, afirmou.

SAIBA MAIS

Casos
Em setembro de 2015, o asfalto da Rua 48, na Areinha, e da Rua Zoé Cerveira, no bairro Ivar Saldanha, cedeu em trechos que passaram haviam passado por obras. Um ônibus e um caminhão passaram pelas duas ruas respectivamente quando o pavimento não resistiu e os veículos ficaram presos. Em ambos os casos, a Construtora ARTEC foi a responsável pelas obras realizadas a serviço da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema).

A primeira ocorrência foi na Rua Zoé Cerveira. Um caminhão de lixo passava pela via quando o asfalto cedeu. A obra de recuperação asfáltica havia sido concluída há menos de uma semana da ocorrência.

Já na Areinha, foi um trecho da Rua 48 que cedeu 15 dias após o asfalto ser recuperado. Um ônibus da linha Areinha – Bairro de Fátima ficou com as rodas do lado direito presas na vala que se abriu. Na ocasião, ninguém ficou ferido.

A Rua 48 é a mesma em que um operário Ronivaldo Gomes Costa morreu em julho na obra de ampliação do sistema de esgotamento sanitário. A vítima trabalhava na instalação de dutos quando o asfalto cedeu e o soterrou. Desesperados, os operários usaram uma retroescavadeira para removê-lo dos escombros, mas ele não resistiu e morreu no local. O homem era funcionário da empresa ARTEC.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.