Proibição

Intervenção em avenida motiva reclamações

Estacionamento na Av. 203 da Cidade Operária passou a ser proibido há três dias; agentes de trânsito estão orientando condutores sobre a intervenção

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h52

Uma intervenção feita pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) na Cidade Operária é alvo de reclamações de comerciantes e consumidores. Para os compradores, a medida tornou ainda mais difícil a tarefa de encontrar vagas para estacionar na região. Os comerciantes reclamam que a intervenção prejudica as compras no período de fim de ano, o mais aguardado pelo comércio.

A intervenção se dá no trecho compreendido entre a Barraca de Pau e a loja Liliani da Avenida 203. Foram colocados cones ao longo de todo esse trecho para impedir que as pessoas deixem seus veículos estacionados. E o que era para garantir mais fluidez no trânsito da região se tornou alvo de muitas reclamações.

O motorista Leôncio Júnior contou que sempre fazia pagamentos e compras nas lojas da Avenida 203, pela proximidade de sua casa, e não aprova a intervenção na via enquanto consumidor. “É complicado fazer uma ação dessas, porque essa é a avenida principal do comércio e muita gente vem para cá. Além disso, ainda não tem faixa amarela, nenhuma sinalização. Acho ilegal o que estão fazendo”, disse.

Prejuízos
Grande parte dos lojistas da via também não aprova a proibição do estacionamento na via temendo uma reação negativa dos consumidores como acontece com a dona de uma loja de confecções, Sheyla Ferreira da Silva. “O país já está em crise e o cliente que não está comprando ainda encontra dificuldade.

Fiz um investimento na loja e aguardava o retorno. Mas desse jeito não vai ter nenhum”, ressaltou.
A intervenção ainda está em processo de implantação. Nesse momento, os agentes de trânsito estão apenas orientando os condutores sobre a proibição. Mas para os comerciantes, os prejuízos já existem, principalmente porque a intervenção acontece no principal período do ano, o de festas de fim de ano e de pagamento de 13º salário.

“O cliente não pode encostar perto da loja que os fiscais ficam apitando e o cliente sai da loja desesperado para não deixar ninguém levar o carro dele. Já passou o ano todo, e deixaram para fazer isso só agora no período de dezembro, que já está fraco para a economia”, afirmou a gerente da loja Globo Calçados, Nilza Pereira.

O gerente de loja, Thylon Bruno Carvalho Braga, ressaltou que a ação não foi divulgada para os comerciantes e à população em geral. “Essa intervenção pe­gou todos de surpresa. A infraestrutura da Cidade Operária é pés­sima. As ruas transversais são planejadas para apenas um carro. Não tem como colocar os motoristas para estacionarem nessas ruas, e ainda não há nenhuma sinalização oficial”, frisou.

Para o dono de uma loja de variedades, Luciano Ribeiro, a ação realizada tem mostrado mais prejuízos do que resultados positivos. “É certo que o trânsito de São Luís é um caos, mas sempre estacionamos os carros aqui, nós e os clientes, e nunca tivemos problemas. Então, o serviço deles era válido, mas desde que fosse naquela área da feira, que tem engarrafamento. Aqui [no fim da via], a avenida é livre. Por mais que a gente estacionasse os carros aqui, era rápido”, disse.

A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) informou, em nota, que a intervenção realizada na Cidade Operária tem o objetivo de gerar maior fluidez no trânsito em toda a extensão da Avenida 203. Primeiro foi implantado um jogo semafórico no cruzamento da via com a Avenida 103, garantindo maior segurança no cruzamento das vias e na travessia de pedestres. Outra ação que resultou em fluidez no trânsito foi a proibição do estacionamento na faixa de rolamento da direita ao longo de toda a Avenida 203 nos dois sentidos.

SAIBA MAIS
Vias que já receberam a intervenção no estacionamento

Rua Barão de Itapary - Centro
Rua Rio Branco – Centro
Avenida São Marçal – João Paulo
Avenida 203 – Cidade Operária

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.