Samba e Jazz

Familiaridade entre samba e jazz é retratada em documentário

“Samba & Jazz” mostra similaridades do Rio de Janeiro e de New Orleans
04/11/2015 às 12h03
Imagem do documentário "Samba e Jazz" (jazz)

As semelhanças entre o popular samba carioca e o jazz tocado em New Orleans (Estados Unidos) são tema do documentário “Samba & Jazz”, que será lançado este mês nas principais salas de cinema do Brasil.

Dirigido pelo fotógrafo Jefferson Mello, autor do livro “Os Caminhos do Jazz”, o filme faz uma viagem ao universo de sambistas, passistas, jazzistas e jazz parades, em busca de respostas sobre o ponto em que samba e jazz se encontram. A expressão artística de pessoas que, apesar de separadas por fronteiras geográficas, compartilham a paixão pela música e pelas manifestações populares que envolvem este universo também é retratada.

“Samba & Jazz” traz um apanhado cultural para compreender as semelhanças destes ritmos e adentra o campo social com depoimentos de personalidades representativas do cenário musical, como Arlindo Cruz, Alcione, Carlinhos 7 Cordas, Gregg Stafford, Donald Harrison, integrantes do Clã dos Marsalis (Elis Marsalis, pai de Delfeayo Marsalis e Jason Marsalis), entre outros.

Se o elenco impressiona, o diretor fez questão de ressaltar também o amplo trabalho de pesquisa realizado. “A ideia de criar o roteiro e de dirigir o documentário veio de ‘Os Caminhos do Jazz’. Entre os diversos locais que percorri para criar o livro, New Orleans chamou atenção por sua similaridade com o Rio de Janeiro”, conta Jefferson.

Outro fator que contribuiu para o desenvolvimento do documentário foi a ligação do diretor com o músico americano Gregg Stafford. “Entrar no universo do jazz retratado no documentário só foi possível devido à relação de amizade que temos. Ainda assim, tudo o que foi retratado em New Orleans foi negociado: acesso, uso de imagens e cenas”, diz.

Já no Rio de Janeiro, as gravações ocorreram de forma mais fácil, o que permitiu que o samba fosse abordado livremente. O longa mostra a dificuldade de uma escola de samba tradicional e sua angústia para voltar ao grupo especial; o bairro carioca Madureira, que mais recebeu negros; e conta a história de Pretinho da Serrinha, músico e compositor que aos 10 anos já era mestre de bateria no Morro da Serrinha.

Samba & Jazz já foi selecionado para participar de 14 festivais internacionais e dois nacionais, tendo vencido os prêmios de melhor documentário longa-metragem nos festivais norte-americanos “Capital City Black Film Festival” e “Cinema on The Bayou”.

O filme é uma realização da ANCINE/Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro - Lei de Incentivo e Secretaria de Cultura do Município do Rio de Janeiro - Lei de Incentivo. A apresentação é da Petrobrás com patrocínio dos Correios e apoio cultural da Capemisa, Accenture e Alvarez & Marsal.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte