Operação gênesis

Polícia Federal faz operação de combate à pornografia infantil em oito Estados

Em São Luís, foi aprendido material que seria usado para armazenamento e divulgação de imagens pornográficas.
O Estado Online22/10/2015 às 10h21

Na manhã desta quinta-feira (22), a Polícia Federal (PF) realiza a 2ª fase da “Operação Gênesis”, com o objetivo de combater a distribuição de pornografia infantil. A operação está sendo realizada em oito Estados: Alagoas, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Roraima.

Em São Luís, a PF cumpriu, no início da manhã, três mandados de busca e apreensão. Foram apreendidos smartphones, notebooks, pendrives, dentre outros dispositivos de informática, que serão encaminhados para perícia. Não houve prisões em flagrante.

Segundo a Polícia Federal, os crimes investigados são armazenamento e divulgação de imagens e vídeos de pornografia infantil, os quais podem ser punidos com até seis de anos de reclusão e multa.

As investigações foram baseadas em um trabalho de inteligência que identificou usuários que utilizam redes sociais, serviços de e-mail e de armazenamento de arquivos para distribuir pornografia infantil.

Durante a 1ª fase, iniciada no dia 2 de setembro, foram cumpridos 39 mandados de busca que resultaram na apreensão de grande quantidade de material de pornografia infanto-juvenil. Por terem sido flagrados na posse desse tipo de material, onze pessoas foram presas em flagrante delito e três adolescentes foram encaminhados à Justiça especializada.

De acordo com a PF, cerca de 160 policiais cumprem 41 mandados de busca e apreensão nos oito Estados. O resultado final da operação, incluindo o número de pessoas presas em flagrante durante o cumprimento das medidas, deverá ser divulgado no final do dia. A Operação é coordenada pela Unidade de Repressão aos Crimes de Ódio e Pornografia Infantil na Internet – URCOP – sediada em Brasília-DF.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte