Simulação

Morte do mecânico Irialdo Batalha é reconstituída em Vitória do Mearim

Diego Geane Ferreira Fernandes, que sobreviveu, diz que tem uma versão diferente da apresentada; crime aconteceu em maio deste ano
03/09/2015 às 17h54
Peritos simulam momento em que o corpo de Irialdo Batalha é colocado na viatura policial

A reconstituição da morte do mecânico Irialdo Batalha, de 34 anos, e da tentativa de homicídio de Diego Geane Ferreira Fernandes, de 30 anos, ocorreu nesta quinta-feira (3) em Vitória do Mearim, interior do estado. Estiveram na reprodução simulada os envolvidos no caso: o sargento da Polícia Militar José Miguel Castro, do soldado Flávio Roberto Gomes dos Santos e o o vigilante Luiz Carlos Machado. O crime ocorreu na tarde do dia 28 de maio deste ano.

A simulação, que atraiu dezenas de moradores, incluindo a família das vítimas, foi dividida em três etapas. A primeira foi com suspeito de ser o executor do mecânico, Luiz Carlos Machado; a segunda com os dois policiais, acusados de dar cobertura para o crime; e, por último, com Diego Geane Ferreira Fernandes, que sobreviveu a tentativa de homicídio.

Simulação em Vitória do Mearim atraiu vários curiosos

Em entrevista a O ESTADO, que acompanhou a reconstituição, Diego Geane afirmou que tem uma versão diferente da apresentada. "Eles estão colocando como se o garupa estivesse portando uma arma, o que não aconteceu", criticou. Ele disse, ainda, que espera que seja feita justiça. "Eu espero que os culpados paguem. Ele era pai de família, cheio de sonhos. Foi uma atitude desumana, uma execução", completou.

O inquérito policial desse caso está sendo coordenado pelo delegado Guilherme Sousa Filho, da Delegacia de Homicídios. Segundo ele, essa etapa do processo investigativo serve para retirar qualquer tipo de dúvida sobre o crime. Esse trabalho de reconstituição contou, além dos envolvidos, com a presença de investigadores da Polícia Civil e também dos peritos do Instituto de Criminalística (Icrim) e o laudo será anexado ao inquérito a ser remetido para a Justiça.

Entenda o caso

Dia do crime, em maio deste ano

Na tarde do dia 28 de maio deste ano Irialdo Batalha caído no chão e aparentando desacordado foi executado com dois tiros na cabeça e morreu. O fato foi registrado em vídeo por populares, que estavam no local na hora dos disparos, exibe o homem com uma farda, provavelmente, o vigilante Luiz Carlos atirando contra a vítima. Enquanto, Diego Geane foi atingido com um tiro no pé, segundo a polícia, por ter fugido de uma blitz feita pela Polícia Militar, na entrada da cidade de Vitória.

Leia todos os detalhes da reconstituição na edição impressa de O ESTADO.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte