CRÍTICA

Filme “Sobrenatural: A origem” não traz bons sustos, diz crítico

Longa conta a trajetória da heroína Elise (Lin Shave) para salvar a vida da jovem Quinn (Stefanie Scott); esse é o terceiro capítulo da história e mostra fatos anteriores e sombrios na vida da médium
Rodrigo Zavala/Do CineWeb03/08/2015

SÃO PAULO- Há um erro um tanto grosseiro na tradução do título desta sequência de “Sobrenatural”, franquia de sucesso sobre possessão demoníaca criada por James Wan e Leigh Whannell (ambos de “Jogos Mortais”). Conhecida nos Estados Unidos como “terceiro capítulo”, no Brasil a produção recebeu o nome de “a origem”, o que não incomodaria, se não fosse uma inverdade.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte