Barbárie

Moradores revoltados com falta de segurança lincharam assaltante

Linchamento ocorreu no início da tarde desta segunda-feira após a vítima, em companhia de um menor, que também foi espancado, tentar assaltar um estabelecimento comercial, no São Cristóvão; polícia tenta identificar os envolvidos
Leandro Santos / O Estado07/07/2015

Moradores fizeram justiça com as próprias mãos no fim da manhã de ontem no bairro Jardim São Cristovão, em São Luís, ao linchar um homem e tentar matar um adolescente, após os dois terem tentado assaltar um estabelecimento comercial. Cleidenilson Pereira da Silva, de 29 anos, morador do bairro João de Deus, foi morto no local enquanto que o adolescente que estava em sua companhia, e que mora no São Cristovão, foi apreendido e levado pelos policiais para a delegacia com diversas escoriações pelo corpo.

O caso aconteceu por volta de 12h30. De acordo com a polícia, Cleidenilson Pereira e o adolescente, que portavam um revólver calibre 38, anunciaram um assalto em um bar localizado na Rua Coronel Abílio (também conhecida como Rua Jaime Costa), mas foram rendidos pelas pessoas que estavam no local e que em seguida iniciaram as agressões.

Agressões – Os dois foram amarrados com cordas e espancados pela população. O adolescente teve ferimentos mais leves e foi encaminhado pela polícia para o 11º Distrito Policial (11º DP) sendo levado em seguida para a Delegacia do Adolescente Infrator (DAI). Já Cleidenilson Pereira não teve a mesma sorte.

A população, cansada de esperar por uma resposta do poder público diante da violência que cresce gradativamente na Região Metropolitana de São Luís, resolveu fazer a chamada justiça com as próprias mãos. O assaltante teve as mãos, pés e o corpo amarrados por uma corda e presos em um poste de energia elétrica. Logo em seguida, ele teve as roupas arrancadas e foi brutalmente espancado pelos moradores revoltados com chutes, socos, pedradas e até mesmo garrafadas. A vítima não resistiu a gravidade dos ferimentos e morreu no local.

O sangue da vítima ficou espalhado pelo chão assim como os pedaços de garrafa que foram utilizados para a prática do delito. Após o crime, a área foi isolada. O fato chamou a atenção de muitas pessoas da região que se amontoaram próximo da cena do crime. De acordo com o relato daqueles que estavam no local, Cleidenilson Pereira e o adolescente costumavam cometer assaltos na área, no entanto, nunca haviam sido presos pela polícia. O pai da vítima esteve no local do crime e afirmou que desconhecia que o seu filho estava envolvido na prática de delitos.

Investigação - Os delegados Jeffrey Furtado e Leonardo Carvalho, ambos da Delegacia de Homicídios (DH) estiveram no local para apurar as circunstâncias em que aconteceu o fato. “Nós vamos agora apurar como ocorreu o fato e, em seguida, identificar e responsabilizar os responsáveis pelo linchamento”, disse o delegado Jeffrey Furtado.

O Instituto de Criminalística do Maranhão (Icrim) também esteve no local para os levantamentos periciais e, em seguida, o corpo foi recolhido para o Instituto Médico Legal (IML) e após a autópsia foi liberado para a família realizar o sepultamento. Já o adolescente apreendido será responsabilizado por tentativa de assalto. O inquérito sobre o caso foi instaurado no 11º DP e terá 30 dias para ser concluído, podendo ser prorrogado.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte