Espigão Costeiro da Ponta d´Areia será entregue no mês de agosto

Secretário de Estado Infraestrutura, José Raimundo Frazão Ribeiro, vistoriou ontem canteiro de obras.
25/04/2014 às 22h40
Antônio Martins e Jorge Ribeiro (T)

Com 70% de obras concluídas, a urbanização do Espigão Costeiro da Ponta d'Areia, em São Luís, será entregue à população em agosto. A informação foi confirmada pelo secretário de Estado de Infraestrutura, José Raimundo Frazão Ribeiro, durante vistoria ao canteiro de obras, na tarde de sexta-feira (25). Também acompanharam a visita o subsecretário Antônio José Garrido e o adjunto de Obras Civis, Aparício Bandeira.

"Essa é uma das obras mais importantes da Região Metropolitana e vai dar um novo aspecto à Ponta d'Areia tanto na questão urbanística quanto no lazer para os maranhenses e também para os turistas. Mesmo em obras, o local já é um dos pontos turísticos da capital", ressaltou o secretário José Raimundo Ribeiro.

A urbanização do Espigão Costeiro inclui a construção de deques e de bancos ao longo do espaço, proteção das laterais, quiosques de conveniência, incluindo espaço para venda de artesanato maranhense, lanchonetes, locais para coleta de lixo, pontos de observação, além de calçadão, passeio e ciclovia, entre outros espaços paisagísticos.

Revitalização - O secretário-adjunto Aparício Bandeira ressaltou que a obra vai revitalizar o Memorial Bandeira Tribuzi, que vai abrigar um Centro de Exposição. "A urbanização do espigão incluiu a criação da ciclovia e o calçadão, locais para a prática de esportes, a revitalização dos monumentos históricos, como o memorial, e a construção de um mirante no local", afirmou.

Ao todo, a obra está orçada em R$ 39.157.879,82, sendo R$ 16.060.476.090 em urbanização de toda a área - de aproximadamente 2 quilômetros.

Espaço já é atração turística

Além de ser uma obra de engenharia com a função específica de conter a erosão e desassorear o canal, o Espigão Costeiro tornou-se um ponto turístico em São Luís, que está sendo ampliado com a obra de urbanização da área.

O espigão (ou quebra-mar, como é mais conhecido) foi construído para resolver o problema da erosão na orla da Ponta d'Areia, resultado que vem sendo alcançado.

De acordo com o estudo - que foi financiado pela empresa Vale e doado ao Governo do Estado -, o acúmulo de areia acarretou a modificação da corrente na área da Ponta d'Areia, aumentando a intensidade da erosão.

Além da erosão, a medida conterá também o assoreamento do canal existente entre a península e o banco de minerva - espécie de banco de areia. O local serve para o tráfego de embarcações.

Números

572 metros é comprimento do espigão

8 metros de altura

1,4 metro de altura acima da preamar máxima

2 quilômetros é a extensão da urbanização:

R$ 39,1 mi é orçamento total da obra, sendo R$ 16.060.476.090 em urbanização de toda a área

Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 9209 2564.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2018 - Todos os direitos reservados.