Melicertes

PF faz operação contra grupo especializado em contrabando de cigarros e lavagem de dinheiro no MA, PI e CE

Grupo criminoso utiliza pistas de pousos e portos clandestinos para descarregar cigarros estrangeiros vindos do Suriname e Paraguai.

Imirante.com, com informações da PF

- Atualizada em 01/12/2022 às 14h19
Mandados foram cumpridos em cidades da Região Metropolitana de São Luís, e nos Estados do Piauí e Ceará.
Mandados foram cumpridos em cidades da Região Metropolitana de São Luís, e nos Estados do Piauí e Ceará. (Foto: Divulgação / Polícia Federal)

SÃO LUÍS - A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta quinta-feira (1º), a segunda fase da Operação Melicertes, com o cumprimento de 14 mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão nos Estados do Maranhão, Piauí e Ceará, contra grupo especializado no contrabando de cigarros e lavagem de dinheiro.

De acordo com a PF, a investigação foi iniciada em 2020, após a prisão em flagrante de quatro pessoas e a apreensão de aproximadamente 5 mil carteiras de cigarros de origem estrangeira, feita pela Polícia Militar do Estado do Maranhão (PMMA), na região do município de Bequimão, a 75 km de São Luís.

A PF deu continuidade à investigação e no dia 28/04/2021 foi deflagrada a primeira fase da Operação Melicertes, oportunidade em que foram cumpridos quatro mandados de prisão e onze mandados de busca e apreensão, com o emprego de 52 policiais federais.

Na ocasião, foram angariados vastos elementos informativos, sobretudo documentos e mídias, que após analisados, confirmaram não somente a participação dos investigados nos crimes apurados, mas, sobretudo, foi possível identificar outros atores que, de maneira ordenada, formam uma rede criminosa caracterizada pela divisão de tarefas, cujo objetivo é a obtenção de lucro com a venda de cigarros contrabandeados. 

A segunda fase da Operação Melicertes é direcionada para esses novos atores que foram identificados, os quais exercem funções relevantes dentro da organização criminosa, relacionadas a financiamento, logística e lavagem de dinheiro.

A organização criminosa

O grupo criminoso utiliza pistas clandestinas para pouso de aeronaves, bem como portos clandestinos localizados na costa maranhense, para descarregar cigarros estrangeiros vindos do Suriname e Paraguai. Em seguida, abastecem caminhões do tipo “baú” e distribuem a carga ilícita para regiões do Estado do Maranhão e para outros Estados do Nordeste.

Além dos mandados de prisão e busca, a Justiça Federal determinou o bloqueio de ativos financeiros em desfavor de dois dos investigados e de duas empresas, supostamente utilizadas para lavar dinheiro do grupo, além do sequestro de veículos de luxo registrados em nome das referidas pessoas.

Os mandados foram cumpridos nas cidades de São Luís (MA), Paço do Lumiar (MA), Imperatriz (MA), Trizidela do Vale (MA), Bernardo do Mearim (MA), Teresina (PI), Amontada (CE) e Fortaleza (CE), tendo sido empregado um efetivo de 59 Policiais Federais.

 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.