Checagem

Fala em apoio a Bolsonaro foi feita por jornalista argentino e não por embaixador, como afirma vídeo

Falso para o Comprova é o conteúdo inventado ou que tenha sofrido edições para mudar o seu significado original e divulgado de modo deliberado para espalhar uma falsidade.

Projeto Comprova

- Atualizada em 16/09/2022 às 17h36
A reportagem enviou uma mensagem privada, que foi visualizada, mas não obteve resposta até a publicação desta checagem.
A reportagem enviou uma mensagem privada, que foi visualizada, mas não obteve resposta até a publicação desta checagem. (Projeto Comprova)

Falso

É falso o conteúdo de vídeos publicados no Kwai que mostram um suposto embaixador falando que “não tem nenhum motivo econômico para alguém não votar na reeleição do [Jair] Bolsonaro”. O homem que aparece no vídeo não é embaixador, e sim o jornalista argentino Gustavo Segré, que fez as declarações durante sua participação em uma edição do programa “Direto ao Ponto”, da Jovem Pan News.

Conteúdo investigado: Vídeos que circulam no Kwai com o trecho de uma fala do jornalista argentino Gustavo Segré em um programa do canal de notícias Jovem Pan News. Na parte superior do vídeo está escrito: “embaixador fala que Bolsonaro é fera mesmo”. No vídeo, Segré faz críticas aos governos “populistas de esquerda” na Argentina e defende que “não tem nenhum motivo econômico” para não votar na reeleição de Jair Bolsonaro (PL), no Brasil.

Onde foi publicado: Kwai.

Conclusão do Comprova: É falso que um embaixador estrangeiro tenha dito que Bolsonaro “é fera mesmo” ou afirmado que “não tem nenhum motivo econômico para alguém não votar na reeleição do [Jair] Bolsonaro” nas eleições deste ano, diferentemente do que sugere um vídeo que circula na rede social Kwai. As falas foram feitas, na verdade, pelo jornalista argentino Gustavo Segré durante sua participação na edição do programa “Direto ao Ponto”, da Jovem Pan News, transmitida em 8 de agosto deste ano. O próprio Segré publicou, em seu Instagram, um trecho que aparece no conteúdo verificado. Correspondente do jornal argentino La Nación no Brasil, Segré é conhecido por seu posicionamento crítico a governos ditos de esquerda na América Latina. Ele também é associado ao partido de direita argentino Republicanos Unidos, criado em 2020.

A mesma edição do programa, apresentado pelo jornalista Augusto Nunes, contou com a presença da embaixadora da Venezuela no Brasil, Maria Teresa Belandria, nomeada em 2019 pelo autoproclamado presidente venezuelano Juan Guaidó. Entretanto, no vídeo aqui analisado, ela não faz nenhuma afirmação de defesa ao voto em Bolsonaro. O governo brasileiro reconheceu Belandria como embaixadora oficial da Venezuela em junho de 2019, cargo que ela ainda ocupa, de acordo com o site oficial da única embaixada venezuelana reconhecida no Brasil.

Falso para o Comprova é o conteúdo inventado ou que tenha sofrido edições para mudar o seu significado original e divulgado de modo deliberado para espalhar uma falsidade.

Alcance da publicação: Nas duas postagens que deram origem à verificação do Comprova, é possível ver uma marca d’água com o nome de um outro perfil (“Marina Vascocelos424escritoraa”), o que, no Kwai, indica ser o usuário que publicou o vídeo originalmente. Nesse perfil, no entanto, a publicação foi excluída. As duas postagens que reproduziram o conteúdo, e foram analisadas na verificação, somavam, até o dia 16 de setembro de 2022, 27 mil visualizações. Além desses vídeos, uma busca no próprio Kwai com a frase “embaixador fala que Bolsonaro é fera mesmo” mostra que existem pelo menos outros 93 conteúdos idênticos já publicados na rede, e com números de visualização variados.

O que diz a autora da publicação: Não conseguimos contactar a autora do conteúdo verificado pelo Kwai, onde ele foi publicado originalmente. Encontramos um perfil no Facebook com o mesmo nome e características semelhantes ao perfil do Kwai, além de cinco fotos diferentes da mesma mulher. A reportagem enviou uma mensagem privada, que foi visualizada, mas não obteve resposta até a publicação desta checagem.

Como verificamos: Procuramos no Google pela frase-chave da publicação verificada, “não tem nenhum motivo econômico para alguém não votar na reeleição do Bolsonaro”. Usamos aspas na pesquisa para obtermos apenas os resultados com a frase na íntegra. Encontramos variações desse mesmo conteúdo em outras redes sociais. O segundo resultado, uma publicação com a mesma peça de desinformação em uma página no Facebook atribuída a um suposto escritório de advocacia, mostra um outro ângulo do vídeo, no qual aparece escrito no fundo do cenário: “O Pêndulo da América Latina”.

Assim como no conteúdo da transmissão original da Jovem Pan, os vídeos no Kwai mostram também o jornalista brasileiro Augusto Nunes. Pesquisamos, então, no Google, pelos termos “O Pêndulo da América Latina” e “Augusto Nunes”. Deparamos-nos com a edição de 8 de agosto do programa “Direto ao Ponto”, do canal de notícias Jovem Pan News, e reconhecemos que se tratava do mesmo vídeo.

Contexto do vídeo

Os vídeos aqui analisados apresentam trechos da edição do programa “Direto ao Ponto”, do canal de notícias Jovem Pan News, transmitido no último dia 8 de agosto. Apresentado pelo jornalista Augusto Nunes, o “Direto ao Ponto” é um programa de entrevistas semanal “que se aprofunda nos debates de temas relevantes da atualidade”, de acordo com o site da emissora.

A edição usada no vídeo do Kwai tinha como tema “debater os efeitos políticos e econômicos do crescimento do número de governos esquerdistas na América Latina” e trazia como convidados o jornalista argentino Gustavo Segré (apresentado por Nunes como “jornalista e analista político internacional”); a embaixadora venezuelana reconhecida pelo governo brasileiro Maria Teresa Belandria; a deputada chilena Chiara Barchiesi e o jornalista e candidato a deputado federal Carlos Cauti (Novo-SP).

Um dos recortes divulgados nas redes sociais, de 1 minuto e 42 segundos de duração, começa com uma fala de Segré sobre os “riscos” dos países que, segundo ele, são governados por “políticos populistas de esquerda”. A fala de Segré acontece no momento em que os convidados debatiam sobre as recentes negociações de empréstimos entre os governos argentinos e o Fundo Monetário Internacional (FMI). Segré então cita números do chamado “risco-país” da Argentina e da Ucrânia e diz que o impacto de um governo populista de esquerda na economia de uma nação é pior do que o de uma guerra. Nesse trecho, Segré afirma que o “risco-país” da Argentina é de 2.400 pontos e o da Ucrânia de 1.800, sem, no entanto, especificar a fonte dessa medição. No início de julho, o indicador do banco JP Morgan atribuído à Argentina ultrapassou os 2.600 pontos, patamar próximo ao citado pelo jornalista. O Comprova, no entanto, não encontrou informações da mesma fonte, isto é, o ranking de risco-país do JP Morgan, atribuído da Ucrânia. Em outras publicações, como os sites Country Risk e Credendo, os níveis de risco no grau de investimento atribuídos aos dois países são bastante semelhantes.

Em seguida há um corte e o trecho seguinte é uma outra fala de Segré, na qual ele afirma que, sob o ponto de vista econômico, não há motivo para os brasileiros não votarem pela reeleição do atual presidente Jair Bolsonaro.

Uma outra versão do mesmo vídeo, com 4 minutos e 5 segundos de duração, também circula no Kwai. Essa versão apresenta, nos primeiros minutos, um outro recorte de uma fala de Segré, em que ele recorre a uma analogia para explicar o que é o “socialismo”, que, segundo ele, aconteceu na Venezuela no passado e está acontecendo na Argentina atualmente.

Quem é Gustavo Segré

Gustavo Segré é argentino e mora em São Paulo. É sócio da empresa de consultoria Segré y Asociados e correspondente no Brasil do La Nación Más, canal de TV do jornal argentino La Nación, onde faz análises de temas como economia e política. Com frequência, Segré também faz comentários em veículos do Brasil, principalmente a Jovem Pan, onde ele deu a declaração no post verificado neste texto.

Segré é crítico da esquerda e de medidas dos governos petistas no Brasil e dos governos de Cristina Kirchner (2007-2015) e de Alberto Fernández na Argentina, principalmente na economia. Ele demonstra apoio a grande parte das ações de Jair Bolsonaro. Em 2021, definiu-se desta forma em uma conversa no Twitter: “sou liberal e não sou bolsonarista, mas prefiro Bolsonaro a um governo socialista/populista”.

Na última terça-feira, 13, Segré compartilhou em seu Twitter um vídeo insinuando que as pesquisas do Datafolha apontam vitória do presidente Lula porque impedem que os entrevistados respondam que irão votar em Bolsonaro — o que não é verdade, segundo verificação publicada pela Reuters Brasil.

Gustavo Segré também faz parte do Republicanos Unidos, partido argentino criado a partir da fusão de quatro legendas de direita: Unidos por Argentina, Libertario, Mejorar e Recrear. Fundada em 2020, a sigla disputou as primeiras eleições legislativas em 2021 e elegeu um deputado, Ricardo Lopes Murphy, que também é presidente do partido. Em seu site, a legenda diz defender a liberdade, a propriedade e o respeito à vida.

Segundo a plataforma Lattes, Segré se graduou em administração de empresas pela Universidade Bandeirante de São Paulo em 2006 e também em ciências contábeis pela Universidade Paulista em 2007. Antes, cursou economia na Universidade de Buenos Aires. Em 2010, fez pós-graduação em controladoria na Unip. Segundo seu próprio perfil no LinkedIn, ele é ex-professor de graduação da universidade.

Em nenhum de seus comentários, redes sociais e páginas na internet, Segré diz ser embaixador, como afirma o vídeo verificado. Desde 2020, o embaixador argentino no Brasil é o político e empresário Daniel Scioli. Em junho de 2022, ele deixou temporariamente o cargo para assumir o Ministério do Desenvolvimento Produtivo da Argentina, mas em setembro Fernández decidiu enviá-lo de volta ao Brasil.

A autora do vídeo no Kwai

As duas versões do vídeo aqui analisadas foram publicadas por usuários diferentes no Kwai, mas trazem uma mesma marca d’água com o nome de outro perfil (Marina Vasconcelos424 escritora), provavelmente a primeira a compartilhar o conteúdo. O perfil de Marina no Kwai, contudo, não apresenta mais a postagem com o vídeo, o que indica que o material foi excluído. No Kwai, Marina Vasconcelos se apresenta como “escritora, formada em psicologia e empresária” e cita alguns livros de sua autoria. Na rede, boa parte dos conteúdos compartilhados por ela são de apoio ao presidente Bolsonaro.

Ela também possui um perfil no Facebook, por onde o Comprova tentou fazer contato, mas não houve retorno.

De acordo com o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Marina tentou ser candidata a vereadora por Salvador pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC) em 2020, mas teve a candidatura indeferida. Segundo o TSE, a candidatura foi indeferida por “ausência de requisito de registro”. Ela também tentou ser deputada estadual pela Bahia em 2014 e 1998, não sendo eleita em nenhuma das ocasiões.

Por que investigamos: O Comprova investiga conteúdos suspeitos que viralizam nas redes sociais sobre a pandemia, as políticas públicas do governo federal e as eleições presidenciais. O post verificado sugere de forma mentirosa que um embaixador, uma autoridade tida como representante de uma visão técnica e internacional, apoia a reeleição de Jair Bolsonaro. O conteúdo é danoso ao processo democrático, porque distorce a compreensão das pessoas da realidade no contexto das eleições gerais deste ano. A população tem o direito de saber a verdade e de basear suas escolhas eleitorais em informações de confiança.

Outras checagens sobre o tema: O Comprova fez outras verificações sobre conteúdos que distorcem os fatos na que tentativa de favorecer a candidatura de Bolsonaro à reeleição, e mostrou ser falso que um instituto de pesquisas eleitorais funciona dentro do Instituto Lula; que não há registro de que o presidenciável petista tenha afirmado que enfermeiros “só servem para servir sopa”; e que post engana ao associar o preço atual das carnes no Brasil a um suposto complô do PT com a empresa do setor de alimentos JBS.

 

 

 

 

 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.