Imunização

Campanha de vacinação contra Poliomielite e Multivacinação vai até o dia 9

O público-alvo são crianças e adolescentes; os imunizantes são seguros e estão registrados pela Anvisa.

Imirante.com*

- Atualizada em 05/09/2022 às 06h50
A atualização da situação vacinal aumenta a proteção contra as doenças imunopreveníveis. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.
A atualização da situação vacinal aumenta a proteção contra as doenças imunopreveníveis. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.

SÃO LUÍS - A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Multivacinação vai até o dia 9 de setembro. O esforço é para proteger as crianças e adolescentes e aumentar a cobertura vacinal nestes grupos.

Essa estratégia da multivacinação foi implementada pelo Ministério da Saúde em 2012. Contando com o apoio dos gestores das três esferas de governo, bem como dos profissionais de saúde, a ação é realizada em um período de um pouco mais de um mês.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semus) informou São Luís possui mais de 55 pontos de vacinação.

Leia mais:

Maranhão registra cobertura vacinal de 19,10% contra a poliomielite em crianças de um a quatro anos

Para as crianças e adolescentes estão disponíveis as vacinas BCG; hepatite A, hepatite B; penta; pneumocócica 10-valente; pneumocócica 23-valente; poliomielite inativada(VIP) e poliomielite oral(VOP); rotavírus humano; meningocócica C (conjugada), meningocócica ACWY (conjugada); febre amarela; tríplice viral; tetraviral; tríplice bacteriana (DTP); dupla adulto (dT); varicela e HPV quadrivalente.

A atualização da situação vacinal aumenta a proteção contra as doenças imunopreveníveis, evitando a ocorrência de surtos e hospitalizações, sequelas, tratamentos de reabilitação e óbitos. Todos os imunizantes são seguros e estão registrados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Veja os pontos de vacinação na capital:

(Divulgação / Prefeitura de São Luís)
(Divulgação / Prefeitura de São Luís)
(Divulgação / Prefeitura de São Luís)
(Divulgação / Prefeitura de São Luís)

Entenda os riscos de não vacinar as crianças

O último caso de infecção pelo poliovírus selvagem no Brasil foi em 1989. Esse vírus é o causador da Poliomielite, também chamada de pólio ou paralisia infantil, uma doença contagiosa aguda que pode infectar crianças e adultos e deixar importantes sequelas.

A doença pode causar desde sintomas leves, como um resfriado comum a problemas graves no sistema nervoso, como paralisia irreversível, principalmente em crianças com menos de cinco anos de idade e, em casos mais graves, pode levar a óbito. A infectologista Joana D’arc alerta:

“A poliomielite é uma doença que era considerada grave porque algumas pessoas que se infectavam desenvolviam uma forma súbita de paralisia dos membros inferiores. Por meio da vacina, a gente acabou erradicando essa doença, o que é um ganho enorme para nossa sociedade, mas o vírus ainda circula em alguns países e pode ser reintroduzido se a gente não vacinar os nossos filhos. ”

O país recebeu o certificado de eliminação de pólio em 1994, mas a baixa cobertura vacinal nos últimos anos preocupa especialistas da saúde. Em 2021, o percentual ficou abaixo de 70%, sendo que o ideal é que 95% das crianças menores de cinco anos estejam vacinadas.

*Com informações do Portal Brasil 61 e da Semus

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.