Sabatina Imirante

Weverton Rocha foi sabatinado nesta segunda-feira

Candidato ao Governo do Estado abriu série de entrevistas; Carla Lima, Ronaldo Rocha e Gilberto Léda compuseram na bancada.

Ipolítica

- Atualizada em 08/08/2022 às 16h02

SÃO LUÍS - O senador Weverton Rocha (PDT), candidato da coligação “Juntos Pelo Trabalho” ao Governo do Maranhão, foi o primeiro entrevistado da série Sabatina/Imirante.

Nesta segunda-feira (8), durante uma hora, o pedetista conversou com os jornalistas do Grupo Mirante Carla Lima, Gilberto Léda e Ronaldo Rocha.

O candidato respondeu a perguntas sobre cultura, saúde, educação e administração pública, todos sorteados durante o programa.

Diálogo - Sobre o cultura, o pedetista disse que pretende revitalizar o Carnaval na Madre Deus, em São Luís, a partir do diálogo com moradores,

“Iremos sentar com moradores e entidades da Madre Deus e ver como revitalizar o local. Isso não quer dizer que a Beira-mar não será usada. Temos que incentivar e abrir o leque de ações. Vamos trabalhar com calendário durante o ano inteiro, para que aqueça a economia no setor”, destacou. Rocha ressaltou, ainda, que debaterá com entidades ligadas ao setor uma revisão do Plano Estadual de Cultura.

O candidato também negou a existência de um orçamento secreto no Congresso, garantiu que as emendas destinadas por ele são aplicadas e que há diversas formas de fiscalizar os investimentos por esse meio.

“A política de saúde, e as demais políticas públicas, só tem uma entrada que é através das prefeitura. O governo tem os órgaõs de controle que mostram o envio destes recursos. Não existe nada secreto. Está tudo aí e pode ser comprovado", explicou.

ICMS - Weverton também criticou, mesmo sem mencionar seu nome, o governador Carlos Brandão (PSB), pela demora na aprovação da redução da alíquota de Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre gasolina, energia elétrica, telefonia e internet.

“O Maranhão foi o último estado na questão da redução da alíquota de imposto, e foi feito de forma sempre a ganhar mais tempo para o governo em detrimento da população. Outra medida equivocada foi a suspensão de pagamento de empréstimo por parte do governo Brandão. Este pagamento é semestral e seria pago uma parcela em julho e o dinheiro já deveria estar aprovisionado, não teve nada a ver com redução de imposto. Este é um problema que teremos que enfrentar. Como governador tenho a meta de honrar a divida do Estado, mesmo porque não vamos deixar prejudicar o Fundo de Participação do Estado, que é dado como garantia a este empréstimo”, disse o senador, que tentou explicar, ainda, sua proposta para atrair novos investimentos.

“Precisamos trazer novos investidores. Precisamos atrair pessoas para que faça a roda da economia girar. Temos que cortar privilégios. Temos que gerar incentivos para gerar emprego e renda. Temos que parar com a política predatória contra os pequenos, onde o menor paga 17 % e o maior 2%. Isso não pode dar certo. Temos que montar a logística para receber os novos empreendedores. Vamos fazer uma política de desenvolvimento. No meu governo vou zerar os impostos dos produtos da cesta básica, para ajudar os que mais necessitam. Vamos sempre buscar a direção correta para o povo do Maranhão”, completou.

Foto: Juliana Chaves/ Grupo Mirante.
Foto: Juliana Chaves/ Grupo Mirante.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.