DATA-BASE MAIO

Mais de 54% dos reajustes salariais ficaram abaixo da inflação

Esse é o maior percentual de reajustes abaixo da inflação por data-base desde julho de 2021.

Imirante.com

Segundo o Dieese, o resultado das negociações de maio revela forte influência da escalada da inflação
Segundo o Dieese, o resultado das negociações de maio revela forte influência da escalada da inflação (Divulgação)

SÃO LUÍS - O Boletim De Olho nas Negociações, elaborado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), mostra que 54,5% dos reajustes com data-base em maio ficaram abaixo da variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), do Instituto Brasileiro de Geografi a e Estatística (IBGE). 

Até o momento, é o maior percentual de reajustes abaixo da inflação por data-base desde julho de 2021. Resultados iguais ao INPC-IBGE foram observados em 32,1% dos casos; e acima do índice inflacionário, em 13,4%. 

Entre os reajustes acima do INPC-IBGE em maio, cerca de 90% resultaram em ganhos de até 0,5% acima da inflação. Entre os que ficaram abaixo da inflação, aproximadamente 18% registraram perdas de até 0,5%; e quase 45%, de 2% a 4%. Para completar os reajustes, várias categorias têm buscado incrementar a remuneração via aumento dos benefícios, como auxílio alimentação, ou pagamento de abonos. Começam a ser vistas também cláusulas de antecipação dos reajustes devido à alta inflação.

A variação real média dos reajustes das categorias com data-base em maio, registrados no Mediador, foi de -1,28%, abaixo dos resultados das negociações com data-base em abril (-0,76%). É também a menor variação desde a data-base agosto de 2021 (-1,46%).

Valor real dos salários

O resultado das negociações de maio revela forte influência da escalada da inflação, que cresce de maneira quase ininterrupta desde junho de 2020. De acordo com o INPC-IBGE, o reajuste necessário para recomposição do valor real dos salários em maio foi de 12,47%, o mais alto no período considerado na análise. Para a data-base junho, o reajuste necessário será ligeiramente inferior: 11,90%.

Cerca de 7% dos reajustes da data-base maio de 2022 serão pagos em duas ou mais parcelas. O percentual é ligeiramente inferior ao observado em abril de 2022 (8,7%) e muito inferior ao observado em maio do ano anterior (15,7%).

Na totalização atual de 2022, as negociações realizadas no setor industrial são as que apresentam a maior proporção de reajustes acima do INPC- -IBGE do painel analisado (27% do total no setor). Em segundo lugar, aparecem as negociações realizadas nos serviços (22,1%); e em terceiro, as do comércio (15,8%). Porém, é nos serviços que se observa a maior proporção de resultados abaixo do INPC-IBGE (51,6%); e no comércio, a menor proporção (33%).

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.