CLIENTE INDUSTRIAL

Investimento de R$ 530 milhões garante suprimento de Gás Natural Liquefeito no Maranhão

Eneva e Suzano fecham primeiro contrato de suprimento de GNL do Brasil de um produtor diretamente para um cliente indústria.

Imirante.com

Primeira entrega de Gás Natural Liquefeito (GNL) à fabrica da Suzano está prevista para primeiro semestre de 2024
Primeira entrega de Gás Natural Liquefeito (GNL) à fabrica da Suzano está prevista para primeiro semestre de 2024 (Divulgação)

SÃO LUÍS - Com um investimento de cerca de R$ 530 milhões, a Eneva implantará um planta de suprimento industrial de Gás Natural Liquefeito (GNL) rodoviário de pequena escala, dedicada majoritariamente para atender à fábrica de celulose da Suzano em Imperatriz (MA). A primeira entrega de GNL está prevista para primeiro semestre de 2024, e será o maior projeto já realizado no Brasil com o objetivo de atendimento à demanda de clientes industriais.  

“Esse é um objetivo estratégico da Eneva que agora se torna realidade. Além de gerar investimentos para estado do Maranhão e contribuir para reduzir a emissão de CO2, o fornecimento de GNL de pequena escala inaugura um novo modelo de negócios não só para a Eneva e a Suzano, mas pode servir de modelo para todo o país”, destaca o CEO da Eneva, Pedro Zinner.

De acordo com acordo firmado entre as duas empresas, a Eneva irá liquefazer o gás natural produzido no Complexo do Parnaíba, em Santo Antônio dos Lopes (MA), que será transportado por carretas criogênicas até a fábrica da Suzano. Chegando lá, o GNL passará por um processo de regaseificação para queima em fornos de cal, substituindo o uso do óleo combustível, o que representa uma redução de 13% nas emissões de gases do efeito estufa. 

A Suzano já é uma companhia climate positive (positiva para o clima), o que significa que ela captura mais CO2 da atmosfera do que emite em suas operações. Com a parceria, a companhia deverá ampliar ainda mais o saldo favorável entre emissões e captura de carbono da atmosfera.  

Para a Suzano, que atua em Imperatriz desde 2013, a parceria reforça um compromisso antigo com o desenvolvimento do estado em um modelo de negócio com base na proteção do meio ambiente. “Essa iniciativa está totalmente alinhada aos nossos compromissos ambientais e sociais de longo prazo, os nossos compromissos para renovar a vida. A viabilização deste projeto com a Eneva faz parte da estratégia da Suzano de contribuir para o desenvolvimento de alternativas em direção a um futuro mais sustentável e com mais oportunidades de geração de renda”, afirma José Ventura, Gerente Executivo Industrial da Suzano em Imperatriz. 

Entre os Compromissos para Renovar a Vida, conjunto de metas de longo prazo estabelecidos pela Suzano, está também a redução em 15% da intensidade de emissões de gases de efeito estufa até 2030. A parceria entre Suzano e Eneva contribui nesse sentido, a partir da substituição do óleo combustível pelo GNL, gerando redução das emissões de gases do efeito estufa. 

A aprovação da Lei Federal do Novo Mercado de Gás Natural, em 2021, permitiu a conclusão das discussões de fornecedores, como a Eneva, diretamente com clientes industriais, como a Suzano.  

“A comercialização de GNL nesse modelo confere opções adicionais de monetização dos nossos ativos de gás natural, além de não dependermos apenas da demanda sazonal do setor elétrico brasileiro para monetizarmos o gás que produzimos. O perfil de consumo de clientes industriais é mais estável e confere mais previsibilidade de receitas”, afirma o diretor de Marketing, Comercialização e Novos Negócios, Marcelo Lopes. “Já estamos trabalhando para replicar esse modelo com outros clientes da região e, também, a partir de nossos projetos de terminais de regaseificação de GNL”, reforça o executivo. 

Sobre a Eneva 

A Eneva é maior operadora privada de gás natural do Brasil e uma empresa integrada de energia, que atua da exploração e produção (E&P) do gás natural até o fornecimento de soluções de energia. A companhia possui ativos de E&P nos estados do Amazonas e Maranhão.  Atualmente, opera 11 campos de gás natural nas Bacias do Parnaíba (MA) e Amazonas (AM). Adicionalmente, possui nestas regiões uma área total sob concessão superior a 60 mil km². Com um parque de geração termelétrica com 2,8 GW de capacidade instalada, a Eneva produz energia segura e competitiva para o sistema elétrico brasileiro.

Em renováveis, a Eneva possui dois ativos operacionais e um pipeline de geração centralizada e distribuída, localizados nos estados de Minas Gerais e Bahia. Pioneira por natureza, a Eneva desenvolveu um modelo de negócio inédito no Brasil: o Reservoir-to-Wire (R2W), que consiste na geração térmica integrada aos campos produtores de gás natural. Com isso, a companhia desempenha um papel importante na transição da matriz energética brasileira, oferecendo energia a partir de um combustível flexível, econômico e eficiente. Listada no Novo Mercado da B3 (Bolsa de Valores brasileira) desde 2007, a empresa integra o Ibovespa, entre outros índices da Bolsa. A Eneva visa continuar crescendo de forma responsável, oferecendo soluções de energia confiáveis e acessíveis para a sociedade. 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.