Estupro de vulnerável

Homem é preso na Ilha suspeito de estuprar as próprias filhas

As vítimas são menores de 14 anos e a prisão ocorreu durante a campanha Maio Laranja que desenvolve ações de combate ao abuso e violência sexual infantil.

Imirante.com

- Atualizada em 13/05/2022 às 18h15
O detido foi levado para a DPCA, na Beira-Mar.
O detido foi levado para a DPCA, na Beira-Mar. (Foto: Divulgação / PC-MA)

SÃO LUÍS - Um homem, nome não revelado, foi preso na Grande Ilha suspeito de estuprar as próprias filhas, que são menores de idade. A prisão ocorreu nesta semana durante a campanha Maio Laranja, que é dedicado a ações de combate ao abuso e violência sexual infantil.

Leia também em: 

DPCA registra média de um caso de estupro de vulnerável por dia na Região Metropolitana de SL

Tio e avó são presos suspeitos de estupro de vulnerável

A polícia informou que o detido é suspeito de ter abusado sexualmente de suas próprias filhas, de modo reiterado. Foi solicitado ao Poder Judiciário a prisão do suspeito e a polícia deu cumprimento.

O detido foi apresentado na sede da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), na Beira-Mar, onde prestou esclarecimento sobre o caso e, logo após, encaminhado para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Outra prisão

Também foi preso um outro homem, nome não revelado, suspeito de abusar sexualmente três adolescentes. Segundo a polícia, as vítimas frequentavam a residência do abusador onde ocorriam o ato criminoso.

A delegada Bianca Almada declarou que as prisões fazem parte da campanha do Maio Laranja, que desenvolve ações de combate ao abuso e violência sexual infantil, como ainda agradece aos esforços empreendidos pelos policiais militares da Diretoria de Inteligência e Assuntos Estratégicos (DIAE). “As mães das vítimas possuem conhecimento dos crimes e permanecem omissas diante da situação também serão responsabilizadas civil e penalmente”, frisou Bianca Almada.

Campanha

Maio Laranja é uma campanha que atenta para ações de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes. Sendo o dia 18 de maio a data escolhida e instituída pela Lei Federal nº 9.970/00 para representar a campanha em memória à menina Araceli Crespo, de 8 anos, que foi vítima fatal de um crime de abuso sexual chocante e mesmo assim arquivado. 


 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.