Orientações

Empreendedorismo: seis dicas para ter sucesso em qualquer negócio

Especialista lista os pontos mais importantes a serem levados em conta para o sucesso de uma empresa .

Divulgação / Assessoria

- Atualizada em 24/04/2022 às 18h21
O futuro empresário precisa tomar alguns cuidados.
O futuro empresário precisa tomar alguns cuidados. (Divulgação)

SÃO LUÍS - Muitos brasileiros têm o sonho de abrir o próprio negócio. Segundo dados do Ministério da Economia, em 2020, o Brasil possuía 19.907.733 de empresas abertas. E mesmo em meio à pandemia de Covid-19, o balanço de empresas abertas em 2020 foi positivo: no ano passado, 3.359.750 de empreendedores deixaram de ser empregados e viraram patrões. Contudo, no mesmo período, foram fechadas 1.044.696 empresas, o que deixou um saldo positivo de 2,3 milhões de empreendimentos.  

Mas depois da decisão de virar um empreendedor, o caminho até a abertura da empresa é longo. O futuro empresário precisa tomar alguns cuidados para não cair na estatística: no Brasil, o tempo médio de vida de uma empresa é de 10 anos, e um em cada cinco delas fecham ainda no primeiro ano de funcionamento.  

E para que os empreendedores obtenham sucesso nesta jornada, o administrador e professor universitário, Elias Gomes, destaca alguns pontos para quem quer seguir este caminho. “Dois pontos cruciais para alguém empreender: entender qual o seu negócio (você acredita que as pessoas irão consumir esse produto ou serviço?) Você é resiliente? Terá capacidade de lidar com frustração e ser paciente com erros, buscando acertar? Acredito que esses dois passos intangíveis são de extrema importância”, pontua.  

Após abrir empreendimento, o desafio é se manter no mercado. Para isso, o professor ressalta a importância de se atualizar constantemente, inovar. O especialista destaca a Inovação Incremental, que é adaptação do seu produto ou serviço, para ficar mais interessante para aquele momento dentro do mesmo mercado. A Inovação Organizacional, que é uma mudança em como se produz ou se faz um produto ou serviço (essa é percebida mais internamente e de forma monetária pelo consumidor final). A terceira inovação, que é a mais drástica e se chama Radical ou Disruptiva, em que o produto ou serviço será oferecido de uma forma completamente diferente.  

“Porém o mais interessante disso tudo é entender que hoje o mercado não aceita mais um passivo, é necessário que haja sim mudanças e adaptações, pois se isso não acontecer, rapidamente a empresa perde interesse das pessoas, que buscam sempre atender seus desejos e necessidades de forma mais ampla”, analisa. 

Conheça outras dicas para ter sucesso no seu negócio: 

Perfil do empreendedor  

Nem todo mundo tem perfil de empreendedor. É preciso firmeza, responsabilidade, jogo de cintura e outros requisitos para tomar conta do negócio. Avalie se você tem o perfil de empreendedor. Mas se a resposta for negativa, não se desespere: essas características também podem ser desenvolvidas e aprendidas.  

Ter sócio ou encarar o desafio sozinho?  

A dura tarefa de abrir um negócio pode ser amenizada se as atividades forem divididas. Alguns empreendedores buscam como sócios amigos, cônjuges e parentes. Desde o início, para evitar problemas, a recomendação é ter uma conversa franca sobre as expectativas: quais serão as responsabilidades de cada um, disponibilidade, quem assumirá o negócio caso a sociedade seja desfeita?  

O ideal é que os sócios de complementem: um cuide do marketing, outro da gestão, por exemplo. Se ambos gostam ou têm habilidades na mesma área, algum setor da empresa ficará desfalcado.  

Análise de mercado  

Para quem ou para que vou abrir um negócio? Quem será o meu cliente? Quem são os meus concorrentes? Todas essas perguntas precisam ser levadas em conta. É o que os especialistas chamam de "plano de negócio".  

Com as rápidas transformações que o mundo está vivendo, o empreendedor também deve levar em conta outros aspectos, como a digitalização e informatização, logística (como seu produto ou serviço vai ser entregue?), entre outros fatores.  

Obtenção de crédito  

Alguns empreendedores usam a indenização de uma rescisão de trabalho formal, por exemplo, para investir em no negócio próprio; há aqueles que juntam recursos por um tempo para investir na tão sonhada liberdade, longe de patrões. Mas há também opções de crédito na praça, oferecidas por instituições financeiras (tenha cuidado com taxas de juros altas).  

De qualquer forma, o empresário precisa ter na ponta do lápis os custos da operação, desde a concepção do negócio, passando pelos primeiros meses de operação, não esquecendo de guardar um fundo de caixa para sair de situações de aperto ou de crise.  

Estratégia digital 

É impossível deixar de lado o ambiente digital. Toda empresa deve ter presença na internet, seja por meio de site (inclusive para vender seu produto por lá), e redes sociais (elas são a nova versão do antigo Serviço de Atendimento ao Cliente, além de ser uma vitrine do negócio, para o bem ou para o mal).  

Boa sorte! 

Com toda a papelada em ordem e a ideia da empresa viabilizada, é hora de “arregaçar as mangas”. Nos primeiros meses do empreendimento, tenha atenção também ao capital de giro, fluxo de caixa e ao estoque (não corra o risco de ter produtos demais ou de menos armazenados). Por fim, boa sorte e sucesso nos negócios! 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.