Eleições 2022

Braide comenta neutralidade sobre eleições: ''Não posso ser injusto''

Prefeito diz que reconhece que nomes postos na disputa o ajudaram na eleição para prefeito, e que, por isso, vai esperar mais.

Gilberto Léda

- Atualizada em 26/03/2022 às 18h44
Braide teve apoio de adversários em 2020 e diz que decisão sairá de diálogo
Braide teve apoio de adversários em 2020 e diz que decisão sairá de diálogo (Matheus Soares/Imirante)

O prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos), comentou nesta quinta-feira (30), durante entrevista ao programa Ponto Final, da Mirante AM, o motivo pelo qual ainda não se posicionou a respeito da disputa pelo Governo do Maranhão em 2022.

Dois dos principais pré-candidatos a governador têm alguma ligação com o atual gestor da capital: Weverton Rocha (PDT) levou seu partido, e o DEM, para uma aliança aberta com Braide no segundo turno da eleição de 2020.

Já o ex-prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PSD) deixou, naquela ocasião, de seguir o grupo do governador Flávio Dino (PSB) no apoio da Duarte Júnior (PSB), numa postura que, para muitos, foi uma mostra de que ele preferia a candidatura do oposicionista.

“Se você perceber, eu tenho nomes que estão postos aí, que mais de um nome me ajudaram na eleição de prefeito (sic). Então, eu não posso ser injusto com ninguém. Isso é algo que vai ter que ser dialogado, conversado com todo mundo, e vai chegar o momento certo”, destacou.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.