Covid-19

Carlos Lula defende imposição do passaporte vacinal no Brasil

Secretário afirmou que é impossível monitorar quarentena de todos os viajantes que desembarcarem no país

Ronaldo Rocha / Núcleo de Política

- Atualizada em 26/03/2022 às 18h54
Carlos Lula é secretário de Estado da Saúde do Maranhão
Carlos Lula é secretário de Estado da Saúde do Maranhão (Foto: Reprodução/TV Mirante)

SÃO LUÍS - O secretário de Estado da Saúde e presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), Carlos Lula, defendeu a adoção do passaporte vacinal para passageiros que desembarcarem no Brasil.

Ele sustenta que a necessidade se dá em decorrência da nova variante da Covid-19, identificada como Ômicron, da qual pouco se tem informações precisas por parte dos pesquisadores até o momento.

Carlos Lula falou sobre o tema ao G1. Na ocasião, ele disse que é impossível fiscalizar a quarentena de todos os passageiros que chegam ao país, por isso a necessidade da apresentação do comprovante de vacinação.

“Há uma diferença razoável entre o que se prevê numa norma e a realidade. Na prática, ao delegar tudo a estados e municípios, podemos ter inviabilizado a possibilidade de vigilância em tempo real dos não vacinados”, disse.

Ele fazia referência a uma determinação do Governo Federal para que todos os viajantes que entrarem no Brasil por via aérea sejam submetidos a uma quarentena de 5 dias, caso não apresentem comprovante de vacina. A nova regra também prevê que após esse período os viajantes - sejam estes estrangeiros ou não -, se submetam ao teste PCR da Covid-19.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.