Condições precárias

Cerca de 60 famílias estão morando debaixo da ponte do São Francisco em São Luís

A maioria dessas pessoas, vivem em condições precárias, sem acesso à água encanada, saneamento básica e alimentação.

Imirante.com, com informações da TV Mirante

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h02
Famílias foram as mais afetadas pela pandemia da Covid-19.
Famílias foram as mais afetadas pela pandemia da Covid-19. (Foto: Reprodução / TV Mirante)

SÃO LUÍS - Aproximadamente 60 famílias estão morando debaixo da ponte José Sarney, também conhecida como ponte do São Francisco, em São Luís. A maioria dessas pessoas, vivem em condições precárias, sem acesso à água encanada, saneamento básica e alimentação.

O déficit habitacional e os problemas ocasionados por ele, ficaram ainda mais acentuados durante a pandemia da Covid-19 em São Luís. Muitas pessoas que perderam seus empregos e rendas por causa do cenário sanitário e econômico viram na estrutura da ponte a única opção para construir as moradias construídas de forma irregulares.

Mãe de duas crianças, Lucidalva da Silva vive há cerca de um ano embaixo da ponte. Sem emprego, ela montou uma estrutura improvisado que conta com um colchão, uma mesinha e um fogão onde vive com os filhos. "Foi o único lugar que a gente pode se acolher (...) já estou aqui vai fazer um ano (...) quem que não quer ganhar um cantinho, sair de aluguel, sair dessa batalha que a gente está enfrentando", disse.

Outro grande impacto da pandemia da Covid-19 é que muitas pessoas, sequer, tiveram condições financeiras para comprarem máscaras de proteção contra o coronavírus. Algumas destas famílias sobrevivem com a ajuda de programas sociais do governo federal.

"Eu sou do interior, sou de São Bento, e eu vim pra cá para procurar coisas melhores né. Mas como a pandemia chegou, eu sou manicure, como eu to desempregada eu moro embaixo da ponte", disse Kassiana Ferreira, desempregada.

No ano de 2016, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostraram que São Luís tinha um déficit habitacional de 11,8% de moradias em relação ao total de domicílios. Já em 2019, o percentual cresceu em todo o Estado, chegando a 15,2%.

A Defensoria Pública do Estado do Maranhão (DPE), por meio do Núcleo de Defesa da Moradia, solicitou um encontro com o município de São Luís para tentar resolver a situação.

"A pandemia atingiu mais severamente essas famílias de baixa renda, essas pessoas tiveram pouca margem que tinham de trabalhar, elas tiveram somente sérios prejuízos. Isso as impediu de pagar os alugueis, a gente está tratando de um público que não tem nem acesso a financiamento, então a gente nem leva em consideração a aquisição dos imóveis dela", explicou Marcus Patrício Monteiro, defensor publico do núcleo de defesa da moradia.

Por meio de nota, a Secretaria da Criança e Assistência Social de São Luís (Semcas) informou que, de acordo com levantamento realizado pelo Centro de Referência de Assistência Social da área do São Francisco, 60 famílias são residentes no local. Destas, 12 já possuem residência e quatro se autodeclararam dependentes de substâncias psicoativas.

Ainda segundo a Semcas, a demanda já está sendo articulada pela secretaria para atendimento nos Centros de Atenção Psicossocial. Além da identificação das famílias, está sendo realizada a análise do perfil socioeconômico das demais, para possível encaminhamento de benefício de moradia, caso elas atendam aos critérios. A secretaria afirma que já realizou a entrega de 80 cestas básicas, um kit de enxoval, além de três encaminhamentos para emissão de segunda via de documentos.

Procurada, a Secretaria de Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid), esclareceu que beneficiou 19 famílias que estavam no local, em 2018. Destas, 17 receberam unidades habitacionais no Residencial Jomar Moraes e duas aguardam unidades no Residencial Piancó, já cadastradas e recebendo aluguel social.

De acordo com a Secid, a área está sendo reocupada e por isso, a pasta tem realizado o mapeamento e buscado formas de solucionar a situação.

Assista a íntegra da reportagem da TV Mirante sobre a situação das 61 famílias que estão morando debaixo da ponte do São Francisco, em São Luís: https://globoplay.globo.com/v/9780149/

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.