Estudantes de escola pública alertam para voto consciente

O Estado do Maranhão

- Atualizada em 27/03/2022 às 15h29

Um exemplo de cidadania. Foi esta a demonstração dos alunos da escola Unidade Integrada Raimundo Corrêa, que ontem mostraram que entendem de política em plena praça pública.

Os 107 alunos da 4a série do ensino fundamental do colégio arregaçaram os uniformes e ergueram seus cartazes com frases políticas criadas por eles mesmos para incentivar a população a votar com consciência na eleição do próximo domingo.

A iniciativa é parte da programação do projeto ‘Cidadania’, desenvolvido desde do dia 2 de setembro pela instituição.

O tema do projeto é ‘Organização da sociedade através da participação política’. Na programação, os alunos participaram de variadas atividades, como visitas a comitês, análises de propostas dos candidatos, criação de partidos políticos, palestras sobre a importância do voto e testes com a urna eletrônica. Segundo a professora Rosiane Martins, os alunos também fizeram um levantamento sobre as principais necessidades de alguns bairros de São Luís. Os trabalhos foram supervisionados por uma equipe de professores da escola.

Durante a mobilização, que aconteceu na praça Deodoro, os alunos abordaram os passantes e entregaram uma mensagem política escrita por professoras da escola. ‘Não votar, anular o voto ou votar em branco, significa ser passivo, esperar que outros decidam o que vai acontecer na sua vida’, dizia um dos trechos da mensagem entregue pelos alunos.

Conscientização - Para os jovens estudantes que participaram da mobilização, a importância de votar é uma idéia que eles já têm guardada em mente. “Estamos mostrando para a população que não se deve votar em branco e nem nulo. Estamos fazendo exatamente o que aprendemos na escola”, disse a aluna Juciáurea Barbosa, de 10 anos de idade.

O estudante Gilvan Silva Vinhas, de 11 anos, também concorda com a amiga. “Aprendi muita coisa e também que política não é só assunto de adultos, pois quando a gente crescer vamos fazer a mesma coisa pelo nosso país”, acrescentou Gilvan Silva Vinhas.

Para os pais dos participantes, a iniciativa da escola é válida no sentido de que ajuda no processo de crescimento intelectual dos alunos. “Acompanhei todo o projeto e também acabei aprendendo junto com os alunos”, disse Antônia da Silva, mãe da aluna Caíssa Silva Sousa.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.