Prostestos

União Europeia apela pela consolidação da democracia no Egito

Renata Giraldi/Agência Brasil

- Atualizada em 27/03/2022 às 12h06

BRASÍLIA – A alta representante da União Europeia para Relações Exteriores, Catherine Ashton, pediu às autoridades do Egito que colaborem para a consolidação da democracia no país. O apelo ocorre no momento da destituição do presidente Mouhamed Mursi por militares. Ashton disse ter consciência das divisões na sociedade egípcia e das exigências populares, mas pediu que as autoridades se esforcem para buscar o consenso.

“Apelo a todas as partes para que regressem rapidamente a um processo democrático, incluindo a realização de eleições presidenciais livres e imparciais e a aprovação de uma Constituição”, disse Ashton. “Acompanho o desenvolvimento mais recente no Egito e tenho perfeita consciência das profundas divisões na sociedade, das exigências populares para uma mudança política e dos esforços para alcançar um compromisso.”

Ontem (3), o chefe das Forças Armadas, general Abdel Fattah Sisi, anunciou que Mouhamed Mursi foi deposto e que o presidente do Conselho Constitucional, Adly Mansour, assume a liderança do país. A Constituição foi suspensa e serão organizadas eleições presidenciais antecipadas. Mursi foi eleito há apenas um ano. Em maio, o presidente deposto visitou o Brasil.

Mursi está detido por militares no Clube da Guarda Presidencial Republicana, segundo integrantes da Irmandade Muçulmana, organização política que apoiava o regime. Mursi e assessores diretos foram detidos ontem, após a deposição do governo.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.