Combustível

Preço da gasolina tem aumento de 5,68% em 15 dias no Maranhão

De acordo com levantamento realizado pela ValeCard, o preço médio da gasolina está em R$ 6,81 no estado

Imirante.com

- Atualizada em 26/03/2022 às 19h05
Em São Luís, o preço médio da gasolina corresponde a R$ 6,80, de acordo com levantamento da ValeCard
Em São Luís, o preço médio da gasolina corresponde a R$ 6,80, de acordo com levantamento da ValeCard (Divulgação)

O preço do litro da gasolina no Maranhão subiu 5,68% na primeira quinzena de novembro quando comparado com o mês anterior. A média do estado chegou a R$ 6,81. Em São Luís, o preço médio do combustível é R$ 6,80. As informações constam em levantamento exclusivo feito pela ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas.

Após quase um ano e seis meses de altas consecutivas, o valor do combustível ficou 74% mais caro em todo o país desde maio de 2020, quando o preço médio era de R$ 4,01. Aquele foi o último mês de baixa no preço médio nacional.

Segundo a ValeCard, o preço do litro da gasolina teve alta de 6,46% de 1º a 15 de novembro, quando comparado a outubro. A média nacional chegou a R$ 6,98.

Obtidos por meio do registro das transações realizadas entre os dias 1º e 15 de novembro com o cartão de abastecimento da ValeCard em cerca de 25 mil estabelecimentos credenciados, os dados mostram que todos os estados brasileiros registraram alta no valor do combustível. Destes, Santa Catarina (8,16%), Distrito Federal (7,94%) e Ceará (7,69%) tiveram os maiores aumentos no preço. As menores variações foram anotadas no Piauí (4,44%), Alagoas (4,99%), Acre e Rio Grande do Norte (ambos com 5,03%).

Entre as capitais, o valor médio do combustível foi de R$ 6,946. Rio de Janeiro (R$ 7,313) e Brasília (R$ 7,272) foram as que apresentaram maiores preços nos primeiros quinze dias de novembro. Já os menores valores médios foram encontrados em Curitiba (R$ 6,432) e Macapá (R$ 6,479).

Etanol não é vantajoso

O preço médio do etanol no País no mês de agosto foi de R$ 5,413. Apesar da sequência de altas da gasolina, o combustível ainda segue sendo o mais vantajoso para se abastecer o veículo em todo o País do que o álcool.

O método utilizado nesta análise, descontando fatores como autonomias individuais de cada veículo, é de que, para compensar completar o tanque com etanol, o valor do litro deve ser inferior a 70% do preço da gasolina.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.