Operação

Denarc desenvolve ações contra o tráfico de drogas em São Luís

Maioria das prisões ocorreram na Ilhinha, São Francisco, Liberdade e Sá Viana.

Ismael Araújo / O Estado

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h52
Parte de droga apreendida em março, pelo Denarc. Foto: Flora Dolores / O Estado.
Parte de droga apreendida em março, pelo Denarc. Foto: Flora Dolores / O Estado.

SÃO LUÍS - Sessenta e uma prisões em flagrante por tráfico de drogas, 14 armas de fogo e mais de 21 kg de entorpecentes entre maconha, crack e cocaína apreendidos foi o saldo das operações realizadas pela equipe do Departamento de Combate a Narcóticos (Denarc), órgão ligado à Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), nos seis primeiros meses deste ano, na Região Metropolitana de São Luís e no interior do Maranhão.

O delegado Cláudio Mendes, titular do Denarc, informou que somente maconha a apreensão foi de 20,21 kg, enquanto cocaína, pronta para ser comercializada, foi 399,664 gramas. O de crack foi de apenas 1.499,398 gramas. O mês de janeiro foi o período do ano em que mais os investigadores trabalharam, retirando de circulação 10.700,377 gramas de maconha e mais de 2 kg entre cocaína e crack.

Ele também frisou que o mês de março ocorreu um bom número de apreensões de drogas. Uma quantidade de 5.281,204 gramas de maconha foi encontrada nas mãos dos traficantes. Os bairros Barreto e Jordoa foram as áreas onde ocorreram maior número de apreensões, correspondente a 50% do total recolhido.

O trabalho do Denarc vem sendo intensificado ao longo dos anos. Só em 2013, os investigadores apreenderam mais de 121 kg de drogas e 22 armas na capital. O mês de março desse ano se destacou com a apreensão de 71 kg de maconha, 25 kg de cocaína e mais de 10 kg de crack. Em 2012, a apreensão foi de apenas 114 kg de drogas, na Região Metropolitana de São Luís.

Prisões - Em relação às prisões, a equipe do Denarc deteve 61 pessoas suspeitas de tráfico de entorpecentes e, desse montante, 45 eram do sexo masculino. Um dos detidos foi William Araújo Braga, o Zé Bodão, de 39 anos, no dia 13 de março, no bairro Cohatrac. Cláudio Mendes disse que essa foi a segunda vez que Zé Bodão foi preso pelo mesmo crime e tinha sido alvo constante de denúncias recebidas pelos policiais. A outra prisão ocorreu em 2005, quando os policiais apreenderam entorpecentes na casa do traficante, localizada na Rua 13, no Jardim Araçagi III, área do Cohatrac.

Em São Luís, os bairros líderes em prisões continuam sendo Ilhinha, São Francisco, Liberdade, Sá Viana, Cidade Operária, João Paulo, Coroadinho e Vila Embratel. A droga mais consumida pelos usuários, segundo o delegado, é o crack, principalmente pela facilidade de compra. Em seguida a cocaína, devido à facilidade de ser encontrada em bairros nobres e de maior poder aquisitivo, e por último está a maconha e o LSD.

Mais

Uma tonelada de droga foi incinerada pela polícia no forno da cerâmica Nova União, localizada na Avenida Principal, nº 101, no Quebra Porte, no dia 4 de junho deste ano. Desse total de entorpecentes, cerca de 50% eram de maconha e 40% de crack. Toda a droga incinerada era fruto de apreensões feitas pelo Denarc ao longo de dois anos na capital e no interior do Maranhão. A última incineração havia ocorrido dois anos antes e foi de apenas 300 kg.

Números

20 kg de drogas foram apreendidos pelo Denarc no primeiro semestre deste ano

61 prisões em flagrante por tráfico de drogas foram realizadas pelos investigadores do Denarc

14 armas foram retiradas das mãos dos traficantes pelos investigadores do Denarc

121 kg de entorpecentes foram apreendidos no ano passado pelo Denarc na capital

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.